Prefeitura de Coari paga 13º salário de seus servidores num montante de quase R$ 3 milhões que vão aquecer a economia local

Raimundo Magalhães Coari 23 BA prefeitura de Coari paga, nesta quarta-feira (23), o 13º dos servidores públicos, num montante de quase R$ 3 milhões, recursos que vão aquecer a economia do município. E, ao invés de ficar de choro e dizendo que a culpa é da Dilma, o prefeito Raimundo Magalhães, com apenas oito meses de administração, conseguiu resolver um problema que se arrasta há anos e que compromete seriamente o ensino das crianças em Coari que, este ano por exemplo, passaram meses sem irem para a escola, a falta de transporte escolar por causa de dívidas com os catraieiros – proprietários de embarcações que fazem o transporte dos alunos. O serviço de transporte escolar foi regularizado através da assinatura de contratos firmados em novembro e foram pagos nesta terça-feira R$ 480 mil.

O pagamento dos catraieiros só foi possível através do desbloqueio dos recursos federais do Programa de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE) que estava retido pelo Ministério da Educação por causa de desvios do dinheiro do programa em administrações anteriores e ausência de prestação de contas sobre a aplicação desses recursos. O prefeito Raimundo Magalhães foi à Brasília no mês de outubro e através de medidas jurídicas, como por exemplo 46 queixas-crime contra gestores anteriores, apontou os culpados pelo desvio de recursos e demonstrou seu interesse em aplicar com retidão os recursos destinados à educação em Coari.

“Com isso, deixamos tranquilo os pais das crianças de Coari que não vão passar o Natal e o Ano Novo pensando em como seus filhos começarão o ano letivo se não há transporte escolar”, diz Magalhães, lembrando ainda que essa foi uma promessa assumida com o Procurador Geral de Justiça do Estado (MPE-AM), Fábio Monteiro, que em inspeção feita em Coari, em abril deste ano, apurou que cerca de seis mil crianças estavam fora das salas de aula por falta de transporte e merenda escolar.

Enfrentando a crise

A crise financeira que atinge o Brasil tem o seu maior reflexo nos municípios.  A grande maioria dos municípios enfrenta dificuldades para pagar décimo terceiro salários, folha de pagamento e fornecedores. “Apesar da crise, o município de Coari vem realizando um grande esforço para fechar o ano de 2015 com os compromissos assumidos em dia. O prefeito determinou que sua equipe econômica que apresentasse um plano de contingenciamento para que as principais demandas referentes a empenhos, fornecedores e folha de pagamento fossem atendida”, explicou a secretária de Finanças de Coari, Vaneza Alves.

Como resultado deste planejamento a prefeitura fecha o  ano de 2015 com o  pagamento do décimo terceiro em dia. “Hoje,  dia 23, a prefeitura de Coari estará pagando o 13º  dos funcionários  e já está programando a folha de pagamento do mês de dezembro dentro do prazo previsto por lei”  – informou a Secretária de Economia Vaneza Alves, informando ainda que o pagamento do 13º salário injeta cerca de R$ 3 milhões na economia loca

Ela explica que, quanto aos fornecedores, a Prefeitura de Coari tem tentado manter os pagamentos dentro dos prazos contratuais,  para que os serviços públicos não parem, ou não sejam duramente atingidos pela crise financeira que atinge o país. “O município de Coari sofreu, em 2015, uma queda de receita da ordem de quase 30%.  Para se ter ideia, o orçamento para o ano de 2016 prevê um deficit de mais de 40 milhões de reais. Os repasses federais também apresentaram deficit.  Apesar da queda de receita que Coari atravessa, o município tem feito de tudo para honrar os compromissos assumidos”, garante a secretária.