Prefeitura de Parintins anuncia hospital de referência para tratamento da Covid-19, mas não informa estrutura de atendimento

 

Foto: Divulgação

A prefeitura de Parintins anunciou, na útima quinta-feira (7), que vai reorganizar o sistema de atendimento de casos do novo coronavírus. A decisão, segundo informação enviada à imprensa, teria sido tomada pelo prefeito Bi Garcia, junto à Câmara e a direção de hospitais e profissionais que atuam na linha de frente da pandemia. Seguno o prefeito, a partir deste sábado, dia 9, o Hospital Regional Dr. Jofre Matos Cohen atende somente casos de Covid-19, ficando a cargo somente do hospital Padre Colombo de cuidar das pessoas acometidas por outras doenças. O Radar bem que tentou saber qual a estrutura de atendimento que a Prefeitura de Parintins conseguiu implantar para tratamento dos pacientes com Covid-19, mas não houve resposta.

A única informação que a prefeitura de Parintins tornou pública é que o município conta com 120 leitos. A equipe do Radar Amazônico entrou em contato com o Secretário de saúde do município, Clerton Florêncio, para confirmar quantos leitos são clínicos e quantos são de UTI, qual é a previsão de ampliação desses espaços, mas até o fechamento desta matéria, não houve resposta.

A garantia de atendimentos ao parintinenses se faz necessária, uma vez que, quando um paciente não consegue atendimento no município, se dirige até a capital que já enfrenta um novo colapso nas unidades de saúde publica. Foi o que aconteceu no último dia 5 de janeiro, quando um homem de 27 anos, internado no hospital Jofre Cohen com quadro de pneumonia infecciosa, precisou de um leito de UTI, leito este que a unidade hospitalar não dispõe. Nesse caso, a Justiça determinou que o paciente fosse transferido para Manaus.

Em um suposto áudio que circula pela internet, a defensora pública Gabriela Gonçalves afirma que Parintins possui, hoje, 61 pacientes com síndrome respiratória aguda grave (SRAG). Ela acrescenta, ainda, que desses casos, 47 já estão confirmados como Covid-19 e que a tendência é de que os demais também estejam relacionados à doença.
“A gente precisa diminuir a circulação de pessoas nas ruas para que consigamos diminuir essas internações, considerando que a capital já está com a saúde colapsada”, reivindica a defensora.

Cenário

Com 7.367 casos, até o momento, Parintins é o segundo município do Amazonas com mais registros da doença, sendo também o segundo município com mais mortes, chegando a 165 óbitos – o município com maior número de casos e mortes por Covid-19 é Manaus. Esses dados sustentam a necessidade de medidas urgentes e significativas para evitar um novo colapso da saúde, tanto de Parintins quanto da capital, que recebe casos do interior do Amazonas.