Prefeitura decreta luto oficial pela morte da juíza aposentada Ruth Menezes

Foto: Reprodução

A morte da juíza do trabalho aposentada Ruth Fernandes de Menezes, ocorrida em Manaus, nessa quinta (22) foi profundamente lamentada pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, e a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro. Ruth tinha 75 anos e sofreu uma parada cardíaca. Será decretado luto oficial na cidade por três dias.

“Recebi a notícia da morte da dona Ruth com muita tristeza e desejo, em nome da minha família, meus sinceros pêsames ao querido amigo Gedeão e toda sua família, pela qual tenho forte amizade. A senhora Ruth Fernandes deixa um importante legado para a Justiça do Trabalho, além de ter contribuído para a formação de muitos manauaras no exercício do magistério”, lembrou Arthur.

A primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, que preside o Fundo Manaus Solidária, também lamentou a perda da família Fernandes.

“Nossa solidariedade à família da juíza Ruth Fernandes, que voltou à morada do Pai. Que Deus possa dar o conforto e a serenidade neste momento de saudade. Que a certeza de que ela está bem e em paz lhes seja refrigério”, desejou.

Durante 14 anos, Ruth Fernandes atuou na Justiça do Trabalho, aposentando-se em 1995. Em dezembro de 1981, foi admitida como técnica de trabalhos judiciários do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região.

Em 1984, foi nomeada juíza do trabalho presidente da 7ª Junta de Conciliação de Manaus. Habilitada em concurso público, tomou posse em 1985 como juíza do trabalho substituta da 11ª Região. Na educação, lecionou em escolas tradicionais de Manaus.

Ruth Fernandes deixa três filhos: Ana Grangeiro, Marcos Grangeiro e Gedeão Grangeiro Fernandes.

(*) Com informações da Semcom