Anúncio Advertisement

Prefeitura e Governo discutem propostas para garantir moradia às vítimas do incêndio no Educandos

A presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, recebeu na quarta-feira (27) o vice-governador Carlos Alberto de Almeida Filho, na sede da Prefeitura de Manaus, zona oeste da capital, para alinhar propostas e buscar uma solução compartilhada às vítimas do incêndio ocorrido em 17 de dezembro do ano passado no bairro Educandos, zona sul.

“Estamos acompanhando as famílias desde o primeiro momento, com doações em roupas, cestas básicas, Auxílio-Aluguel e tudo aquilo que está ao nosso alcance para minimizar o sofrimento dessas pessoas”, destacou Elisabeth Valeiko. “Foi uma reunião muito importante, na qual compartilhamos nossos conhecimentos técnicos e unimos nossos esforços para dar uma resposta a essas famílias que hoje esperam por moradia, conforme nos determina o prefeito Arthur Virgílio Neto”, completou a presidente do Manaus Solidária.

A reunião envolveu equipes técnicas das secretarias de Assistência Social, Infraestrutura, Habitação, Ordenamento Social e Capacitação Profissional das duas esferas governamentais.

Dentre as ações integradas e que deverão ser priorizadas pelo grupo de trabalho em prol das vítimas do Educandos está a limpeza e isolamento da área atingida pelo incêndio, a fim de que não haja novas invasões naquela área, considerada de risco pela Defesa Civil de Manaus.

Segundo o vice-governador Carlos Alberto, a situação das vítimas do incêndio no Educandos requer a atenção tanto do Estado como do Município, que tem atuado no atendimento psicossocial das pessoas identificadas pelo serviço social. “Para que possamos dar uma resposta necessária e rápida é importante essa coalizão de esforços. Nossa ideia é desenhar as balizas para a solução dessa situação e de outras semelhantes”, disse.

Atualmente 656 famílias são mantidas pela Prefeitura de Manaus, por meio de donativos arrecadados pela campanha #Manaus Solidária e pelo benefício do Auxílio-Aluguel concedido pela Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc). Nos primeiros dias após o incêndio esse número chegou a 832, sendo reduzido posteriormente para 735 famílias, após cruzamentos de dados, chegando ao número atual. A triagem social é contínua para que o atendimento seja priorizado às reais vítimas do incêndio.