Prefeitura gastou quase R$ 70 milhões em quatro meses para asfaltamento, mas Manaus segue cheia de buracos

Mesmo com os moradores de diversos bairros da cidade denunciando, quase que diariamente pro Radar, que as ruas dos locais onde moram estão tomadas por buracos e lama quando chove, o prefeito David Almeida (Avante) já gastou, através da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) mais de R$ 66 milhões, apenas nos primeiros quatro meses de 2022.

Chama a atenção que, em uns poucos locais da cidade, o que se vê é um serviço de tapa-buraco, que a população reclama dizendo ser de péssima qualidade. “É só dar uma chuva, que o asfalto solta e abre o buraco de novo”, diz o morador do Coroado. Mas na maioria dos bairros de Manaus nem mesmo um serviço de tapa-buraco foi feito.

Lugares onde não falta asfalto são o Vieiralves e o conjunto Morada do Sol, áreas nobres onde a Prefeitura de David Almeida faz asfaltamento de verdade, o que se chama de recapeamento, retirando a camada antiga de asfalto e aplicando um asfalto novo, não se resumindo a apenas tapar os buracos

Segundo os dados encontrados no Portal da Transparência de Manaus, foram gastos R 40,6 milhões com serviços de asfaltamento e pavimentação somente nos quatro primeiros meses de 2022. Nesse período também foram gastos com aluguel de maquinário para serviços de pavimentação mais de R$25 milhões de reais, pagos a 11 empresas.

Um dos moradores que presenciou seu bairro receber o serviço apenas de tapa-buraco reclamou da situação. “Aqui realmente fizeram só esse serviço de tapa-buraco e como vocês podem ver fizeram esses serviços dos dois lados da via, e quando chove o buraco volta a aparecer novamente”, revelou Jocimar Silva.

No dia da fiscalização, na última terça-feira (26), o Radar esteve na rua Amapá, bairro Vieiralves, zona Centro-Sul de Manaus, e por lá encontrou várias máquinas realizando o serviço de recapeamento.

Já no bairro Coroado, na zona Leste de Manaus, além de não encontrar nenhuma máquina ou trabalhadores realizando asfaltamento, a reportagem percebeu que as avenidas Beira Mar e Beira Rio receberam apenas serviços de recapeamento de qualidade duvidosa. Além disso, o Radar recebeu denúncias de que não há serviço de recapeamento ou asfaltamento nos bairros Alvorada, Nova Vitória e Jorge Teixeira.

Veja o levantamento na íntegra