Prefeitura inicia campanha pelo fim da violência contra a mulher

Uma extensa programação voltada ao Enfrentamento à Violência contra a Mulher foi iniciada pela Prefeitura de Manaus, nessa terça-feira (14). A Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh) realiza palestras e ações sociais, que integram a programação que comemora os 12 anos da Lei Maria da Penha, celebrado no último dia 7.

As ações serão realizadas no Centro de Referência dos Direitos da Mulher (CRDM) como forma de tornar o espaço conhecido pelas mulheres e se tornar referência no acompanhamento dos casos envolvendo a violação de direitos ou violência. Na ação desta terça-feira, participaram também representantes do Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) e da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

Entre o público alvo da Campanha Municipal de Enfrentamento à Violência contra a Mulher estão usuárias dos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), e mulheres em geral, de acordo com o cronograma das áreas de abrangência. As palestras acontecerão a cada sexta-feira.

Foram oferecidos os serviços: atendimento Psicossocial e Jurídico, CadÚnico com orientação e cadastro, emissão de Certidão de Nascimento e de Carteira de Identidade. A palestra desta terça-feira tratou sobre “A Rede de Atendimento às mulheres em situação de violência doméstica e familiar”. Entre as ouvintes, a dona de casa Mônica Paiva já é conhecida da equipe da subsecretaria. Após fazer um curso de reaproveitamento de material reciclável como artesanato, ela já projeta se tornar uma microempreendedora.

“Eu conheci muitas coisas aqui sendo atendida com os serviços jurídicos e sociais. No curso aprendi várias coisas. Uma que achei muito interessante foi criar um porta-jóias usando caixa de leite. Pretendo fazer outros cursos para que eu possa ter a minha própria renda”, declarou.

Estatísticas

A Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) registrou, apenas neste ano, mais de 5,5 mil Boletins de Ocorrência (B.Os) de casos de violência contra a mulher. No ranking de denúncias, destacam-se: ameaça, injúria e lesão corporal. Juntas, representam 80% dos casos.