Presa quadrilha suspeita de roubar carregamento de ouro no Aeroclube de Manaus

ouro 1

ouro 2

O Delegado Titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), Orlando Amaral, coordenou a ação que prendeu nessa quarta-feira (14), Gilvan dos Reis da Silva, 48, Francisco Vitoriano da Silva, 50, o “Branquinho”, Cláudio Moisés Aranha da Costa, 46, o “Aranha”, Richards Cordeiro de Camargos, 27, Antônio Nogueira Araújo, 26, e Gleimes Evangelista Lopes, 42, em cumprimento de mandados de prisão por roubo qualificado, expedidos no último dia 12 de agosto pela juíza da 4ª Vara Criminal, Margareth Rose Cruz Hoagen.

Eles são suspeitos de roubar o carregamento de 26 quilos de ouro da empresa Ouro Minas no dia 10 de abril deste ano. A mercadoria, avaliada em R$ 2,5 milhões, foi levada pela quadrilha durante pouso no Aeroclube de Manaus, na Zona Centro-Sul da cidade.

A quadrilha começou a ser desarticulada pela equipe da DERFD a partir das 10h, com a prisão de “Branquinho” no quilômetro 2 da rodovia federal BR – 174. Em seguida, Richards foi preso em via pública, no bairro Lírio do Vale, na Zona Oeste. Antônio foi preso em uma loja de autopeças, localizada na avenida Max Teixeira, Zona Norte. Gleimes, que é funcionário da empresa Ouro Minas há 17 anos, foi detido na DERFD no momento em que prestava esclarecimentos.

“Aranha” e Gilvan foram presos no município de Itaituba, no Pará, distante 995 km em linha reta de Manaus, por duas equipes da DERFD que foram deslocadas até o local para efetuarem as prisões.

Durante a ação foram recuperados 18,5 quilos de ouro, avaliados em R$ 1,8 milhão, encontrados em uma residência localizada no bairro Praça 14, Zona Sul de Manaus. Um carro da montadora Ford, modelo Focus de cor preta e placas JXV – 0446, que foi utilizado pela quadrilha para dar apoio na ação, além de R$ 57 mil em espécie, foram apreendidos com Gilvan.

“Foram quatro meses de investigações. Primeiro identificamos o Celta vermelho com placas clonadas utilizado no dia do crime, que havia sido roubado por alguns dos suspeitos no último dia 4 de abril. Em seguida conseguimos identificar e localizar todos os integrantes da quadrilha”, destacou o Titular da DERFD, Orlando Amaral.

Ainda de acordo com Amaral, as pessoas que moravam na casa onde foram encontrados os 18,5 quilos de ouro têm ligação com “Aranha”, mas foi comprovado que eles não tiveram envolvimento no roubo. “É uma família de bem. Eles não tinham conhecimento que na mala que “Aranha” pediu para deixar guardada no local havia ouro”, frisou.

O Secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Coronel PM Paulo Roberto Vital, destacou a importância da prisão da quadrilha. “A Polícia nunca desiste de apurar caso algum. Nós sabíamos que seria um trabalho difícil e que exigiria muito profissionalismo. Em nome do Governo do Estado, da Secretaria de Segurança Pública, e também da sociedade, eu agradeço o ótimo trabalho realizado pela equipe da DERFD”, declarou na ocasião.

“Nós sabíamos que a quadrilha teve informações privilegiadas e que possivelmente teria o envolvimento de algum dos nossos funcionários, porém não fazíamos ideia quem poderia ser. Com o trabalho feito pelos policiais da DERFD foi comprovado o envolvimento do Gleimes, que trabalhava na empresa há 17 anos”, declarou o gerente de segurança da empresa Ouro Minas, Carlos Eduardo de Paula.

Após os procedimentos realizados na unidade, os seis irão ser encaminhados para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irão ficar à disposição da Justiça.