Anúncio Advertisement

Presidente da Assembleia diz que Amazonino fez arrecadação do Estado despencar

Em tom de indignação, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), David Almeida (PSD), disse que o atual governador, Amazonino Mendes, fez despencar a arrecadação do Estado em apenas um mês. Na leitura feita por David Almeida, durante sessão plenária, nessa terça-feira (07), ele deu a entender que Amazonino suspendeu tudo que é pagamento feito pelo governo, o que teria feito com que o dinheiro parasse de circular e, consequentemente, ocasionado a estagnação da economia do Estado.

“Quando se paralisam as obras, empregos deixam de ser gerados, a renda não é mais distribuída, impostos deixam de ser recolhidos”, criticou o presidente da Assembleia.
Ele chegou a fazer um apelo à base aliada do governo na Aleam, para que peça a Amazonino Mendes para voltar a pagar fornecedores, servidores e autorize a retomada de obras, paralisadas desde que assumiu a chefia do Executivo Estadual.

Arrecadação em queda

David apontou queda de 6,91% na arrecadação do mês de outubro. “Durante o período em que estive à frente do Executivo, a receita de setembro de 2017 foi a maior registrada na história do Amazonas, mais de R$ 843 milhões, contra R$ 789 em outubro de 2017. Também conseguimos o recorde nacional com recursos do ICMS, quando arrecadamos mais de R$ 765 milhões em setembro, contra pouco mais de R$ 718 em outubro”, confirmou.

O deputado-presidente lembrou que assumiu o governo em meio à crise econômica e mediante ameaças de greve das Polícias Civil e Militar. Apesar desse cenário, ele diz ter conseguido mudar a situação deficitária do Estado e imprimido um ritmo de crescimento que resultou em números históricos para a arrecadação. “Fizemos ajustes, revisamos contratos, demos ordens de serviços na capital e interior. Tudo isso aqueceu a economia e gerou empregos e renda para famílias amazonenses. Entreguei o governo melhor do que recebi”, explicou.

Com informações da assessoria de comunicação