Presídio no Amazonas passa a ser monitorado com drones com visão térmica

O Centro de Detenção Provisória Masculino II (localizado no KM8, BR-174) é o primeiro presídio brasileiro a usar drone com visão térmica, diurna e noturna, para monitoramento de áreas internas e externas da unidade.

O equipamento vai auxiliar nos casos de possíveis rebeliões, fuga de presos e verificação do trânsito de visitas. O drone com visão térmica começou a operar nesta semana na unidade prisional, realizando 30 rondas diárias de monitoramento, em horários alternativos.

O drone tem capacidade de atingir até 500 metros de altura e percorrer 1,6 km de distância. O equipamento registra até 25 minutos de imagens ininterruptamente. O equipamento “vê” 20 vezes mais à noite que o olho humano é capaz. Os 15 agentes penitenciários da Central de Monitoramento do CDPM II já receberam treinamento e estão capacitados para operar com o equipamento.

Além do drone, o equipamento possui controle remoto ST16, com sistema operacional Android com processador Intel; monitor de 7 polegadas; duas câmeras (E50 e E90), sendo uma delas térmica, que localiza seres vivos em movimento – animais ou homens – pelo calor do corpo; conjunto de montagem e cubos lume, que podem ser anexados ao drone sempre que precisar de iluminação extra em torno de uma área de inspeção.

Para o secretário de Estado de Administração Penitenciária (Seap), coronel da Polícia Militar, Cleitman Coelho, o equipamento irá ajudar no apoio as operações realizadas na unidade prisional e a solucionar eventuais sinistros como fugas e rebeliões, além das operações estratégicas da Departamento de Inteligência do Penitenciário (Dipen). “Esse equipamento com tecnologia de alta resolução irá fornecer imagens de visão térmica em tempo real que irão subsidiar os agentes durante os procedimentos operacionais”, explicou Cleitman Coelho.

Com informações da assessoria da Seap.