Preso miliciano que comandava comunidades no Rio de Janeiro

Policiais da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (Draco) prenderam, nesta sexta-feira (27), o miliciano Marcus Vinícius Gomes Dias, o “Panelada”. Ele é apontado, segundo investigações da Polícia Civil, como chefe de uma organização criminosa de milícia que atua nas comunidades Beira Rio, Novo Rio e Terreirão, no Recreio dos Bandeirantes, e com conexões com o crime organizado de Rio das Pedras, todas localizadas na zona oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com o titular da Draco, delegado Gabriel Ferrando, a quadrilha chefiada por Marcus Vinícius atuava cobrando taxas mensais de até R$100 para comerciantes e semanal de R$15 para moradores e de R$30 para os mototaxistas. A organização criminosa também explorava serviço de TV a cabo clandestino.

Segundo Ferrando, os criminosos faziam cobranças dos moradores que desejassem realizar obras em suas casas. Para colocar uma nova laje, o morador tinha de pagar cerca de R$ 1 mil a quadrilha.

A investigação apontou que o bando agia com violência e costumava torturar e espancar integrantes de quadrilhas rivais e suspeitos de praticar crimes. Após a morte de Anderson Crisóstomo Sanches dos Santos, presidente da associação de moradores da comunidade Novo Rio, Marcus Vinicius conseguiu tomar o controle da comunidade e se uniu à milícia da comunidade Beira-Rio.

Marcus Vinícius foi preso em um imóvel de luxo localizado em um condomínio da Barra da Tijuca, área nobre da cidade. A polícia cumpriu um mandado de prisão de sentença pelos crimes de roubo qualificado, extorsão com emprego de arma de fogo, formação de quadrilha, porte de arma e crime de tortura.