Processo de delegado Sotero encerra fase de instrução na Corregedoria

O Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que tramita na Corregedoria Geral do Sistema de Segurança Pública, contra o delegado da Polícia Civil, Gustavo Sotero, terminou nesta semana a fase de instrução e vai abrir o prazo para requerimento de diligências por parte da defesa. Em novembro do ano passado, Sotero matou o advogado Wilson Filho e feriu três pessoas em uma casa noturna da zona oeste da capital.

Com o fim da fase de instrução, o processo entra em sua fase final. “Terminou essa semana a fase de instrução. Após o saneamento dos autos pela comissão processante, será aberto o prazo para a defesa requerer as diligências que entender necessárias, em respeito ao contraditório e ao direito à ampla defesa”, explicou a Corregedora Geral, Íris Trevisan.

O PAD foi aberto para apurar a acusação de homicídio em 27 de novembro do ano passado. Durante esse período, foram ouvidas testemunhas, vítimas sobreviventes, seguranças e proprietário do bar, os policiais civis e militares que atenderam a ocorrência. “Após a fase de diligências da defesa, seguirão interrogatório, indiciamento e defesa escrita, encontrando-se nas últimas fases do procedimento administrativo, que findará no prazo provável de 60 dias”, disse Trevisan.

O delegado Gustavo Sotero está cumprindo prisão preventiva na carceragem do grupo Fera, no prédio da Delegacia-Geral da Polícia Civil, na zona centro-oeste de Manaus, e está afastado das funções, com a perda do porte de arma.