Produção agrícola sofre prejuízo de 70 milhões com as cheias no Rio Amazonas

Foto: Divulgação

Os municípios de Tefé, Eirunepé e Boca do Acre, são alguns dos 15 locais atingidos pela cheia dos rios, que estão causando perdas na produção agrícola. A cheia dos rios do Amazonas causou prejuízos avaliados em mais de R$ 70 milhões aos agricultores. Ao todo, a produção agrícola de mais de 9 mil famílias foi afetada com o aumento do nível dos rios.

Os dados fazem parte de um levantamento feito pelo Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam), que monitora a situação da produção nas regiões afetadas no estado. As localidades que já tiveram as produções agrícolas afetadas ficam nas regiões dos rios Médio Solimões, Purus, Juruá e Madeira.

Nos municípios atingidos pela cheia, conforme o levantamento feito pelo Idam, 9.169 famílias já foram afetadas e tiveram suas produções agrícolas atingidas pelo aumento das águas. Entre os principais alimentos cultivados estão a banana, a mandioca, o mamão e as hortaliças.

A Defesa Civil destaca que o nível do rio em Manacapuru chegou a 18,54 metros e ultrapassou a cota de alerta de 18 metros, na segunda-feira (5). A marca está 1,96 m acima do registrado no mesmo período do ano passado.

Em Manacapuru, o nível do Rio Solimões já está acima do esperado para o período atual, próximo ao observado em 2015, quando a cota máxima de toda a série histórica (dados desde 1902) foi observada no município. A previsão é que o rio atinja uma média de 20,27m, podendo chegar a 21,20m. Ainda conforme os dados, o nível do rio na cheia deste ano já supera de 2012 e 2015.

Confira os munícipios atingidos pela enchente.  

  • Tefé
  • Boca do Acre
  • Pauini
  • Lábrea
  • Tapauá
  • Canutama
  • Guajará
  • Ipixuna
  • Envira
  • Eirunepé
  • Itamarati
  • Juruá
  • Carauari
  • Manicoré
  • Novo Aripuanã