Produção industrial do Amazonas cai 6,2%, diz IBGE

 

A produção industrial do Amazonas caiu 6,2% no mês de julho deste ano, em comparação com o mês anterior. A informação está na Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (Julho 2019), divulgada nesta terça-feira (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que avalia a indústria do Amazonas e mais 14 locais entre cidades, estados e regiões do país. O Amazonas aparece com o pior desempenho entre os oito primeiros listados pelo IBGE que aponta média nacional negativa de 0,3% na produção industrial para o período.

Logo atrás do Amazonas vem Pernambuco com queda registrada de menos 3,9%; a produção industrial da região Nordeste caiu 2,6%; o Rio Grande do Sul teve queda de 2,4%; o Ceará com menos 1,5%; São Paulo menos 1,4% e Bahia com menos 1,3%. Todos tiveram queda abaixo da média nacional de menos 0,3%. Completa a lista Santa Catarina com queda igual ao índice nacional de menos 0,3%.

Setores

A maior queda de produção no Amazonas foi no setor de Produção de Bebidas. De Acordo com a tabela de produção física do IBGE o setor representou queda de menos 24,8%, em relação a julho de 2018.

Na mesma comparação, a segunda maior redução registrada pelo IBGE foi nas Atividades de Impressão e Reprodução de Gravações com queda de menos 23,1% em relação ao ano anterior. Em seguida o setor de Fabricação de Produtos de Metal (com exceção de máquinas e equipamentos) que teve uma taxa negativa de menos 14,3% também em relação ao mesmo período do ano passado.

Nacional

No país, a média nacional da produtividade industrial em comparação com o ano passado foi de menos 2,5%. Sete dos quinze locais pesquisados acompanharam essa queda: Espírito Santo (menos 14,2%), Pernambuco (menos 10,2%), Região Nordeste (menos 7,9%), Minas Gerais (menos 6,5%), Bahia (menos 5,6%), Mato Grosso (menos 3,2%) e São Paulo (menos 2,7%).