Produtos de limpeza sem registro são proibidos pela Anvisa

A Anvisa proibiu, a fabricação, a distribuição, a divulgação e a comercialização dos produtos saneantes Bico Doce, da empresa Uzzi Química Ltda., e Desinfetante Max Pinho, da empresa Max Comércio e Manipulação de Produtos Químicos Ltda. A proibição foi determinada pela comprovação de que os produtos eram comercializados mesmo sem possuir registro, notificação ou cadastro na Agência.

A medida de interesse sanitário determina, ainda, que as empresas promovam o recolhimento dos estoques existentes no mercado, relativos aos produtos descritos.

Registro de produtos

O registro é o ato legal que reconhece a adequação de um produto à legislação sanitária, e sua concessão é dada pela Anvisa. É um controle feito antes da comercialização, sendo utilizado no caso de produtos que possam apresentar eventuais riscos à saúde.

Para que os produtos sujeitos à vigilância sanitária sejam registrados, é necessário atender aos critérios estabelecidos na legislação vigente e à regulamentação específica da Agência. Tais critérios visam minimizar eventuais riscos associados ao produto.

Cabe à empresa fabricante ou importadora a responsabilidade pela qualidade e pela segurança dos produtos registrados junto à Anvisa. A RDC 59/2010 ¿dispõe sobre os procedimentos e os requisitos técnicos para a notificação e o registro de produtos saneantes e dá outras providências.

Publicação

A suspensão, determinada pelas Resoluções-REs 3.000 e 3.001, de 31 de outubro de 2018, publicadas no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (5/11), tem caráter definitivo, é válida em todo o território nacional e começa a valer a partir da data da publicação da medida.

Orientações ao consumidor

A Anvisa lembra que produtos sem registro na Agência não oferecem garantia de eficácia, segurança e qualidade exigida para produtos sob vigilância sanitária. Sem esses requisitos mínimos, os produtos irregulares representam um alto risco de dano e ameaça à saúde das pessoas. Assim, são considerados irregulares e a Anvisa não recomenda sua utilização. O cidadão só deve adquirir medicamentos, por exemplo, em farmácias e drogarias autorizadas pela Anvisa e, preferencialmente, em estabelecimentos já conhecidos e próximos à sua residência, nunca pela internet.

Denuncie

No caso de confirmação de um produto irregular ou falsificado, informe à Anvisa por meio de denúncia à Ouvidoria (ouvidori@tende) ou de ligação para a Central de Atendimento (0800 642 9782). Forneça todas as informações disponíveis, incluindo o nome do produto e do fabricante e o local de aquisição da mercadoria, bem como, se possível, uma amostra do produto para que as ações cabíveis sejam adotadas.

Fonte: Portal Anvisa.