Professor nos EUA faz pegadinha e descobre que nenhum aluno lê programa de aulas

iStock (Foto ilustrativa)

Um professor universitário do Tennessee, nos EUA, resolveu verificar se seus alunos de fato liam o programa de aulas que ele entrega a cada início de semestre e, para isso, fez um experimento bem-humorado.

Kenyon Wilson, do departamento de artes cênicas da Universidade do Tennessee em Chattanooga, colocou a seguinte mensagem no meio do texto do seu programa de aulas de música do último semestre: “Para o primeiro que reivindicar; armário 147, combinação 15, 25, 35”.

A pista teria levado os alunos a uma nota de 50 dólares. Ao final do semestre, no entanto, o professor abriu o armário e viu que o dinheiro continuava lá. Nenhum dos estudantes captou o recado.

“Ninguém lê o programa”, disse Wilson em entrevista à CNN, depois de contar a história em um post no Facebook no início de dezembro.

“É como aceitar termos e condições ao instalar um software, por exemplo. Todo mundo clica [no campo que diz] que leu, quando na verdade ninguém o faz.”

A turma tinha 71 alunos. O docente contou que o programa não costuma mudar muito, mas, por causa da pandemia de Covid-19 e dos protocolos de segurança, alguns pontos foram alterados. “No primeiro dia de aula eu disse a eles que algumas coisas tinham mudado e recomendei a leitura do programa.”

No armário, Wilson deixou a nota de 50 dólares com um bilhete que dizia: “Parabéns! Por favor, deixe seu nome e a data para que eu saiba quem a encontrou.” E esperou os exames finais para verificar o armário.

“Eu tinha esperanças e estaria feliz com esta conversa se algum dos meus alunos tivesse encontrado [a nota] na primeira semana”, disse ele à CNN.

Os estudantes levaram a brincadeira na esportiva. Haley Decker, que se formou recentemente na universidade e foi aluna de Wilson nos últimos três anos, disse que o teste foi “hilário”.

“Essa aula normalmente tem o mesmo formato a cada semestre, então os alunos já sabem o que esperar e não perdem tempo lendo o programa”, disse ela. Seus colegas de classe, ela acrescentou, também acharam que a brincadeira foi uma jogada esperta do professor.

“Foi um experimento inteligente. Fez com que os alunos de música percebessem que, apesar das informações repetitivas, você ainda deve ler o programa de estudos com atenção”, disse Decker.

O post de Wilson provocou reação de seus alunos, mas não só –também deu ideias a outros professores de todo o país.

“Talvez a primavera de 2022 [início das aulas nos EUA, outono no hemisfério sul] tenha o programa de aulas mais lido de todos os tempos”, brincou o professor.