Professores da UEA lançam nota pública de repúdio ao desrespeito do Governo com a comunidade acadêmica

O Sindicato dos Docentes da Universidade do Estado do Amazonas (Sind-UEA) emitiu uma nota de repúdio denunciando o não cumprimento das promoções dos docentes de acordo com o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR) da Universidade e ainda demonstrando que o discurso do Governo de amor e respeito a UEA não é verdadeiro. (ver nota na íntegra no final da matéria)

“Repulsivamente, a carreira docente da UEA está ameaçada em sua continuidade, uma vez que, mesmo tendo seus direitos reconhecidos, as promoções dos professores não estão sendo aplicadas em folha de pagamento”, está escrito na nota publicada em um jornal local, nessa segunda-feira (10).

O sindicato desmente a informação de que as promoções estão sendo feitas pelo Governo do Estado. “Alertamos também para as promoções por mudanças de titulação e horizontais, que estão sendo publicadas em Diário Oficial do Estado (DOE), sem, contudo, serem aplicadas em folha de pagamento, aguardando a sensibilização do governador para que os direitos dos professores sejam cumpridos”, denunciam.

“Surpreende-nos a afirmação da gestão superior da UEA – ler sua magnificência o reitor Cleinaldo Costa – segundo a qual o Governador Amazonino Mendes, que criou a UEA e declarou amá-la em várias oportunidades públicas, impeça a justa progressão de carreira de seus docentes concursados e com uma significativa produtividade acadêmica na instituição”, afirma o sindicato na nota.

Ainda no documento, a entidade diz que o posicionamento é necessário para contornar a situação, que segundo ela, trará consequências “nefastas”para a instituição de ensino, a começar pela paralisia total das promoções. “Não é este o futuro que o Amazonas deseja para sua Universidade”, finaliza.