Professores definem indicativo de greve para dia 11

04-02042014 - Audiência Pública debate a pauta de reinvidicaçõesOs professores estaduais definiram indicativo de greve geral para o próximo dia 11 deste mês, caso o Governo do Estado não homologue os benefícios solicitados pela categoria. A decisão foi anunciada durante a audiência pública, de autoria dos deputados estaduais Luiz Castro e José Ricardo, na tarde desta quarta-feira (2), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).
Segundo o deputado Luiz Castro, o objetivo da audiência foi tratar dos benefícios já aprovados pela Casa, mas ainda não confirmados pelo Governo do Estado.
“Os educadores lutam há anos pelas mesmas reivindicações: 20% de reajuste salarial, auxílio alimentação e vale-transporte, estes últimos direitos básicos de qualquer trabalhador”, assinalou o parlamentar. Um plano de saúde, como têm os educadores da Secretaria Municipal de Educação (Semed), é outra reivindicação dos servidores estaduais, além das eleições para diretor de cada escola. O professor, de acordo com Luiz Castro, também sofre com o desrespeito à lei federal da Hora de Trabalho Pedagógica (HTP).
Mobilização
O coordenador de comunicação da Associação dos Professores de Manaus (Asprom), Lambert Melo, reclamou que vêm à Aleam há quatro anos, mobilizando a categoria, de forma independente, para lutar pelos benefícios que o Governo deve aos educadores.
Se até o dia 07 de abril, data limite para a homologação do reajuste salarial, não houver uma resposta, a categoria promete reunir-se para decidir pela greve geral, independentemente do indicativo do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam).
“O Governo só responde ao Sinteam, que não tem mais credibilidade. O Estado tem que negociar com a base e outras representações, caso contrário, não haverá legitimidade”, afirmou Lambert Melo.