Professores e agentes de segurança participam de estudo que testa a vacinação em pessoas com comorbidades

Foto: Semsa/Divulgação

Professores e agentes de segurança pública se voluntariaram para fazer parte de um estudo CovacManaus que vai vai analisar o impacto do imunizante na prevenção das formas graves da doença. A aplicação das doses iniciou nesta quinta-feira (18), e a ação, que vai envolver 10.156 pessoas, tem o objetivo de antecipar a vacinação para os profissionais de educação e de segurança pública com comorbidades.

O infectologista e coordenador da pesquisa, Marcus Lacerda, também falou sobre a iniciativa. Segundo ele, até o final da manhã desta quinta-feira (18), cerca de 40 pessoas já tinham sido imunizadas pelo estudo.

“Quem já teve Covid pode participar do estudo. Só não pode participar é quem já tomou alguma dose da vacina. Até o final da manhã desta quinta, cerca de 40 pessoas que já foram vacinadas. Está sendo uma vacinação tranquila, uma triagem tranquila, e nós esperamos que mais pessoas compareçam e participem do estudo”, disse.

As doses que serão usadas na pesquisa foram doadas pelo Instituto Butantan, responsável pela fabricação da Coronavac, por uma parceria com a Fundação de Medicina Tropical. Os imunizantes pertencem ao mesmo lote que está sendo utilizado no município de Serrana, no interior de São Paulo. A cidade paulista está realizando uma vacinação em massa da população.

Interessados em participarda pesquisa devem preencher o formulário de cadastro e termo de consentimento no site ipccb.org e ficar atentos ao cronograma de chamada por grupo etário, divulgado no mesmo endereço eletrônico. No site estão detalhados os documentos e as informações necessárias para o estudo.