Profissionais que trabalham na Universidade Aberta da Terceira Idade estão há quatro meses sem salários

Os profissionais da Fundação Universitas de Estudos Amazônicos (FUEA) que trabalham com a capacitação dos idosos na Universidade Aberta da Terceira Idade (Unati/UEA), como professores de Educação Física, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas e outros prestadores de serviços estão há quatro meses sem receber salários da Universidade Estadual do Amazonas (UEA). A denúncia foi feita pela deputada estadual Alessandra Campêlo (PMDB) durante a sessão plenária dessa terça-feira, 12, na Assembleia Legislativa do Amazonas.

“Eu quero aproveitar para cobrar também. São quatro meses de salário em atraso e isso acarreta a paralisação das atividades porque ninguém pode trabalhar sem receber. Eles ficam sem dinheiro até mesmo para o transporte, para ir lá fazer as atividades com as pessoas idosas”, disse Alessandra.

A deputada ainda reconhece a importância da Unati e diz que é preciso garantir o funcionamento dela através do recurso financeiro. “A Unati existe em função das pessoas idosas e a gente tem que comemorar sim a existência dela, mas é preciso garantir o funcionamento através do recurso financeiro porque ela só existe se tiver dinheiro pra funcionar”.

Com informações da assessoria de comunicação