Projeto Manôbike chega a um ano com mais de 9 mil viagens realizadas na capital

Nesta quinta-feira (12), o projeto de bicicletas compartilhadas, o Manôbike, da Prefeitura de Manaus celebra um ano de funcionando e sucesso na capital. São quase 7,5 mil pessoas cadastradas no sistema que contabiliza mais de nove mil viagens realizadas nesses últimos 12 meses.

No mês passado, houve ampliação de estações que passou a contar com 15 pontos para retirada das bikes na cidade.

Os novos pontos estão localizados na rua Ramos Ferreira esquina com Major Gabriel; na avenida Sete de Setembro, no final da ponte de ferro, em frente ao mercado municipal Walter Rayol; no Terminal 1 (T1), na avenida Constantino Nery, próximo da Leonardo Malcher; e no Terminal 2 (T2), na Cachoeirinha, na avenida Manicoré, esquina com Carvalho Leal.

A estação que funcionava antes na rua Miranda Leão foi transferida e está implantada agora na Praça da Matriz, mais próximo do terminal.

A ideia de ter as estações das bicicletas compartilhadas é facilitar a integração e conexões entre modais de transporte, para que o uso seja voltado para mobilidade urbana e deslocamentos dentro da cidade, seja para o trabalho, estudo ou lazer.

“Percebemos a conscientização da população de usar a bicicleta como veículos sustentáveis e de lazer, conforme idealizou o prefeito Arthur Virgílio Neto. Recentemente, incluímos nas rotas do projeto os terminais de integração e estudamos a expansão para locais como Universidade Federal do Amazonas, a Ufam, e a Ponta Negra”, contou o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), engenheiro Claudio Guenka, acrescentando que a ideia seria conectar os pontos Centro-Ponta Negra-Aleixo a futura rota, de forma segura.

Sustentável

Com o Manôbike, que tem patrocínio local da Hapvida, a Prefeitura de Manaus estimula a mobilidade e o transporte sustentável defendido pelo prefeito Arthur Virgílio Neto e o vice-prefeito Marcos Rotta, aumentando o incentivo a meios não poluentes e que visam à melhoria na qualidade de vida dos cidadãos.

Para segurança, conforto e melhor mobilidade aos ciclistas, a Prefeitura de Manaus implantou 14,5 quilômetros de ciclorrotas, com sinalização horizontal e vertical, num grande quadrilátero no Centro.

Vale destacar que as ciclorrotas indicam a presença e a preferência da bicicleta. Essa alternativa tem sido uma solução adotada por várias cidades para projetos de ciclomobilidade, sendo um modelo mais simples, fácil de implantar e com pouco impacto viário. Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Aracaju, Vitória, Curitiba e, agora, Manaus, possuem ciclorrotas.

Como funciona?

O sistema funciona de segunda-feira a domingo, das 6h às 23h, para retirada do equipamento, e 24h para devolução. No sitewww.manobike.com.br, o usuário pode se cadastrar e conhecer mais detalhes do projeto. O Implurb é o órgão que gerencia o contrato de Termo de Cooperação com a empresa responsável pela operação, manutenção e logística do projeto. Não há ônus para o Poder Público.

Após cadastro no aplicativo e/ou no site (www.manobike.com.br), o usuário da Manôbike tem a opção de adquirir o passe mensal (R$ 10) ou diário (R$ 5), e não paga valor adicional desde que use de acordo com as regras do projeto. De segunda a sábado, o uso pode ser de 60 minutos ininterruptos, quantas vezes por dia o usuário desejar, desde que respeite o intervalo de 15 minutos entre as viagens. Aos domingos e feriados, o uso passa a ser de 90 minutos.