Promotor relata momentos de terror durante confronto entre população e polícia, em Caapiranga

O promotor de Justiça de Caapiranga, Daniel Amazonas, relatou os momentos de terror que passou nessa quarta-feira (22) durante o confronto entre a população e os policiais no município por conta da prisão de Osiane Mendes Lopes e Reginaldo Pereira dos Santos Júnior. O casal estava presos desde a madrugada sob a suspeita de envolvimento no homicídio de um jovem identificado como Cosmo Dantas Mendes, de 21 anos.

“Eu estava no pátio da delegacia, jogaram um tijolo na minha direção, aí eu vi que começou aquela chuva de pedras, um policial deu um tiro para o chão, outro um tiro pra cima. Os policiais começaram a atirar pra se defender, não agiram de forma açodada. Foi meia hora de troca de tiros, a própria segurança institucional do MP foi lá, me resgatou, e confirmou que encontraram cápsulas de rifles, balas do outro lado que também atirou, mas o estrago foi grande, destruíram a delegacia”, relatou o promotor.

Ele informou que foi chamado pelo delegado Sinval Souza para ir à delegacia negociar com centenas de manifestantes que tentavam invadir o local e linchar os suspeitos. No entanto, mais de 200 pessoas que eram instigadas por um grupo de 20 populares insistiam em invadir a delegacia para retirar os dois suspeitos.

Após o confronto, a unidade de saúde de Caapiranga confirmou uma morte e nove feridos. Entre os feridos, quatro homens receberam alta após atendimento na cidade, outros três homens e uma mulher foram transferidos para o Hospital de Manacapuru. Um homem, com ferimento grave no crânio, foi trazido para o Hospital João Lúcio, em Manaus. As informações foram confirmadas pela Susam. (ver relação das vítimas no final da matéria)

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que reforços da Polícia Militar e Polícia Civil foram enviados a Caapiranga (a 134 quilômetros de Manaus) no início da noite desta quarta-feira (22/08) para conter ações de depredação do patrimônio público e tentativa de invasão a 32ª Delegacia Especializada de Polícia da cidade.

À noite, a situação foi controlada com a dispersão da população pelas tropas do reforço policial. A Força Tática de Manacapuru, além de policiais civis e PMs de Manaus foram enviados, seguindo determinação do secretário de segurança, Coronel Anézio Paiva.

O delegado titular de Caapiranga, Sinval Souza, teria informado à Secretaria de Segurança, pelo telefone, que a unidade foi completamente depredada e que uma viatura da PM e outra da PC também foram danificadas. Segundo o delegado, a ação foi comandada por comparsas e familiares dos três infratores envolvidos no caso. O desaparecimento é um caso de repercussão na cidade e a notícia da transferência dos presos levou dezenas de curiosos para frente da delegacia. Infratores armados com espingardas atiraram contra a unidade policial quando o tumulto popular começou.

“O delegado Sinval foi ferido por um tiro de raspão na cabeça, e passa bem. O promotor da cidade, que acompanhava o caso na delegacia e negociava com familiares dos presos a remoção, levou uma pedrada na cabeça. O Secretário de Segurança Pública, Coronel Anézio Paiva, determinou apuração rigorosa do episódio para identificar e prender os envolvidos na ação criminosa. Reforços policiais permanecerão na cidade e um efetivo do Grupo Fera e do Comando de Policiamento Especializado da PM também chegou a cidade, no fim da noite, para o restabelecimento da ordem”, diz a nota de esclarecimento da SSP.

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) informou que o juiz Geildson de Souza Lima, que responde pela Vara Única da Comarca de Caapiranga, determinou a transferência dos presos do município para a unidade prisional de Manacapuru.

Vítima fatal:

Carlos Paulo Lima Pereira

Pacientes atendidos e liberados:

Osmar Macena de Matos

Ozenir Marques Loureiro

Wendeli Martins Pereira

Raimundo Damião da Silva

Encaminhados para Hospital de Manacapuru:

Davi Matheus M. Encarnação

Renan Reis Martins

Maria Dulcinete Dias de Lima

Jeová Moraes de Lima

Encaminhado para HPS João Lúcio

Jeilson Firmino de Castro

Com informações da assessoria do MPAM, da SSP-AM e do TJAM