Promotora de Justiça do Amazonas morre após sofrer acidente no mar na BA

Ela estava internada em estado grave após quase se afogar em um acidente no mar

Foto: divulgação

A promotora de Justiça Simone Martins Lima, de 62 anos, morreu na manhã desta quarta-feira (5), após se afogar no mar. Segundo informações, a promotora passava férias na Bahia, em Porto Seguro.

De acordo com informações, ela estava internada em estado grave após se afogar no mar. Simone chegou até ser reanimada pela equipe de Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Em nota, o Ministério Público do Amazonas (MPAM) lamentou a perda com a morte de Simone, que atuou em inúmeras Promotorias de Justiça das áreas criminais e cíveis da Capital.

Trajetória

A manauara, de 52 anos, pautou sua vida na Justiça e na Defesa da sociedade contra crimes, principalmente dos mais indefesos: os infantes amazonenses.

Delegada de Polícia — à época, lotada no 8.º Distrito Policial de Manaus — com apenas 29 anos, ingressou no MPAM em 19 de julho de 1998, exercendo o cargo de Promotor de Justiça Substituto, inicial da carreira.

No interior do Estado, atuou de forma brilhante nos municípios de Canutama, Humaitá, Silves, Itacoatiara, Coari, Manacapuru, Lábrea, Apuí e Tapauá.

Com notória trajetória profissional, foi promovida pelo critério de antiguidade (ato PGJ n.º 262/2019) para o cargo de Promotora de Justiça de Entrância Final, titular da 103ª Promotoria de Justiça Especializada em Crimes Contra a Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes, onde exercia suas atribuições até os dias atuais. Atuou, também, por designação, em inúmeras Promotorias de Justiça das áreas criminais e cíveis da Capital.

Por seu exemplo de luta, competência e zelo profissional, Simone Martins Lima deixou um legado de disciplina e honorável demonstração de unidade institucional, notadamente demonstrados durante a realização do lançamento da campanha de Combate ao Trabalho Infantil, promovida, dentre outras, por este Ministério Público do Amazonas. Além disso, o reconhecimento de seu know-how e brilhantismo se deu também por meio de portarias e atos (Portaria n.º 960/00/PGJ, de 19 de dezembro de 2000; Portaria nº 694/2001/PGJ, de 03 de setembro de 2001; Portaria nº 81/PRE-AM, de 29 de outubro de 2012.)

O Ministério Público do Amazonas manifesta profundo pesar e solidariedade a todos os amigos e familiares, com preces de consolo e abrigo.