Proposta traz terminais, estações, corredor exclusivo, viadutos e passagens de nível

A proposta de Artur Neto, candidato à reeleição pela coligação Por Uma Só Manaus, para a Mobilidade Urbana, nos próximos quatro anos, é a implantação do Bus Rapid Transit (BRT), que contempla a construção de mais sete terminais de integração, quatro Estações de Conexões e 50 quilômetros de pista segregada para uso exclusivo do transporte público. A proposta contempla, ainda, a construção de  viadutos, passagens de níveis, alargamento de pistas e construção de uma via exclusiva para ônibus.

O BRT é considerado o mais adequado pelo Plano de Mobilidade (PlanMob), de Manaus, por apresentar o menor custo em relação a outras tecnologias de transporte. O custo total é de aproximadamente R$ 1,2 bilhão. O projeto do BRT já está no Ministério das Cidades para aprovação e liberação de recursos, e o projeto das intervenções viárias estão internados na Comissão Andina de Fomento (CAF).

O primeiro terminal a ser construído é o T6, no bairro de Santa Etelvina, nas proximidades do Café Joelza.  O trecho compreendido entre o terminal 6 e os cruzamentos da Max Teixeira e Torquato Tapajós, numa extensão de 7,4 quilômetros, também será integrado ao BRT.

CORREDORES

O sistema BRT compreende dois corredores: o BRT Norte-Sul e o BRT Leste Sul. O primeiro a ser implantado será o Norte-Sul, que parte do T4 e desenvolve-se pelas avenidas Camapuã, até o T3, e daí pela Noel Nutels e Max Teixeira até o cruzamento com a Torquato Tapajós, onde será integrado ao fluxo que virá do T6, seguindo pela Torquato, Constantino Nery até o cruzamento da rua Leonardo Malcher.

Neste trecho, serão construídos os T7, ainda na Max Teixeira, o T8 e o T9, na Constantino Nery, além das Estações de Conexão C4 e C1. Todo esse trecho desenvolve-se em dois sentidos.

A partir deste ponto, O BRT Norte-Centro desenvolve-se em sentido único pelas avenidas Epaminondas, Floriano Peixoto, Getúlio Vargas e Leonardo Malcher, atingindo a Estação de Conexão 0 (C0). Nesse trecho haverá, também, necessidade de abertura de uma via complementar.

Já o corredor Leste-Sul, que também começa no T4, desenvolve-se pela Autaz Mirim até o T5, percorre a Cosme Ferreira até a C3 que será construída nas imediações do Complexo Viário Gilberto Mestrinho, seguindo pela Rodrigo Otávio e Marginal do Igarapé do 40, até o Terminal 2, entre os bairros de Educandos e Santa Luzia, seguindo para a Manaus Moderna até atingir a C0.

Os dois eixos têm extensão total de 49,6 quilômetros que se somarão a outros 39,7 quilômetros de vias preferenciais.

OBRAS NECESSÁRIAS

Além das obras do BRT a cidade também receberá obras importantes de intervenção viárias com a construção de viadutos, passagens de níveis e construção de vias exclusivas.

Já estão em análise junto a Comissão Andina de Fomento os projetos para construção de viadutos e passagens de nível na Avenida Constantino Nery com Pedro Teixeira, Constantino Nery com Pará, Entrada do Manoa, Bola do Produtor, Intervenção na Rodoviária e via exclusiva para ônibus, paralela à Autaz Mirim.

Texto e fotos: Assessoria do candidato

agendsexta-07-10