Protesto contra Temer termina em confronto entre manifestantes e PM em Porto Alegre

fora tener 2 capa

bombaUm protesto contra a posse de Michel Temer como presidente em exercício terminou em confronto entre policiais militares e manifestantes no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, segundo a Brigada Militar. De acordo com o coronel Mario Ikeda, comandante do policiamento de Porto Alegre, três pessoas foram presas, e três PMs se feriram após terem sido atingidos com pedras arremessadas contra eles.

O confronto teve início quando policiais militares usaram bombas de gás para dispersar manifestantes que bloqueavam a Avenida Loureiro da Silva.

O oficial observou que a intervenção da Brigada Militar ocorreu devido a desobstrução da via pública. “Durante toda a manifestação eles estavam caminhando, mas quando chegaram na Avenida Loureiro da Silva eles pararam. Demos tempo para eles se organizaram, mas tivemos que intervir.”

O oficial explica que agentes da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) tentaram liberar a pista por três vezes seguidas, antes da ação policial, mas sem sucesso. Foi quando a BM lançou bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo nos manifestantes.

Ainda segundo Ikeda, foram arremessados pedras e garrafas contra os policiais militares e três deles ficaram feridos, sendo encaminhados para o Hospital de Pronto Socorro (HPS). Já os presos foram levados para a 3ª Delegacia de Pronto Atendimento (DPPA).

O ato teve início por volta das 18h30 na Esquina Democrática, entre a Rua dos Andradas e Avenida Borges de Medeiros, no Centro. Mais cedo, foi realizada no local uma encenação de um “enterro da democracia”, com um objeto simulando um caixão. Cerca de 30 minutos mais tarde, o grupo caminhou até a frente da sede do PMDB, onde ocorreu uma concentração dos manifestantes. Por isso, a pista bairro-Centro da Avenida João Pessoa ficou bloqueada.

Conforme a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), os ônibus que iam para o bairro foram desviados pela Rua Avaí e a a Rua Desembargador André da Rocha. No outro sentido, o fluxo de veículo seguiu normalmente.

Os manifestantes chegaram a fazer um protesto em frente à sede do Jornal Zero Hora, na esquina entre a Avenida Ipiranga e a Rua Erico Verissimo, e depois retornaram à Cidade Baixa.

Por volta das 21h, os manifestantes chegaram a sentar no chão na Avenida Loureiro da Silva com a Rua Lima e Silva, o que causou um congestionamento. Os motoristas reclamaram do bloqueio da via.

A Brigada Militar interviu por volta das 21h15, arremessando bombas de gás lacrimôgeneo nos manifestantes. Os artefatos foram lançados em frente do Largo Zumbi dos Palmares, em direção ao grupo, que estavam concentrados na esquina da Avenida Loureiro da Silva com a Rua Lima e Silva.

Os manifestantes são acompanhados pelo Pelotão de Operações Especiais (POE) do 9º Batalhão de Polícia Militar. O ato foi organizado pelas redes sociais e ganhou o nome de “Fora Temer, Cunha na cadeia”.

Fonte: G1