Próxima edição do “Mexa-se em Casa” terá participação do dançarino Hudson Praia

Foto: Divulgação

O projeto “Mexa-se em Casa” desta quarta-feira (27) vai promover um aulão de ritmos com o dançarino Hudson Praia. O aulão será transmitido a partir das 16h no instagram e facebook da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar).

O objetivo do projeto é levar atividades físicas por meio de lives e na próxima edição terá, ainda, a participação do professor de Educação Física, Rogério Mello, que fará o alongamento no início e no final da atividade.

Com larga experiência em danças ao ar livre, Hudson Praia destaca que este projeto é importante para as pessoas que buscam manter o condicionamento físico mesmo durante a quarentena.

“A Fundação é uma referência para as pessoas que têm na dança sua atividade favorita. Diante dessa pandemia, não poderia ser diferente e, mais uma vez, ela sai na frente, pensando no bem-estar de quem está em casa. Nossos seguidores podem esperar uma grande aula com ritmos como forró, funk e, claro, boi-bumbá”, conta.

O professor Rogério Mello ressalta a importância e necessidade do alongamento antes e após a execução de atividades físicas.

“O alongamento não serve somente como base para o aquecimento. Além de ser fundamental antes de qualquer atividade esportiva, proporciona um ganho de elasticidade e mobilidade na extensão do movimento realizado pelos membros inferiores e superiores, além de quê previne lesões. E é isso que vamos exibir na nossa live”, disse.

Na primeira edição do projeto, que ocorreu no última quarta-feira (20/05), mais de 300 pessoas foram alcançadas durante os 60 minutos de atividades. Segundo o diretor-presidente da Faar, Roberto Folhadela, foi um número positivo.

“Estamos muito satisfeitos com o alcance de todas essas pessoas. O projeto nasceu para ser uma opção de atividade para quem está em casa sem poder ir às academias, ao funcional. E chegamos a um público excelente. Acredito que teremos mais pessoas nessa próxima edição, pois o programa vai entrar no gosto da população acostumada a cuidar do corpo e da saúde”.

(*) Com informações da Secom