Qualidade da água de igarapés de Manaus começa a ser analisada

Foto: Divulgação

Uma ação do Programa de Estímulo à Divulgação de Dados de Qualidade de Água (Qualiágua) iniciou, nesta quarta-feira (5), a análise dos parâmetros físicos da qualidade da água nos igarapés do Franco e do Mindu. O processo conta com o monitoramento da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema).

O Qualiágua- uma iniciativa conjunta da Sema com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANAS)- foi estruturado em quatro fases distintas, com a proposta de padronizar a análise das águas superficiais em todo o país. No Amazonas, a primeira etapa prevê a coleta de dados em 49 pontos concentrados, sobretudo, em igarapés e rios da capital e Região Metropolitana de Manaus (RMM). As informações serão usadas para conhecer a qualidade das bacias analisadas a fim de possibilitar ações mais efetivas voltadas ao uso dos recursos hídricos no estado.

Para o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, o início do Qualiágua, no Amazonas, representa um importante instrumento para subsidiar as decisões de políticas públicas voltadas para a gestão hídrica estadual, contribuindo com a sustentabilidade dos recursos hídricos da maior bacia hidrográfica do mundo.

“O programa nos permite ter acesso a informações que irão compor uma metodologia nacional. Isso garantirá uma gestão hídrica planejada para compatibilizar, melhorar e aperfeiçoar o que existe e suplementar o que falta”, destacou Taveira.

Além de Manaus, os municípios de Presidente Figueiredo, Itacoatiara, Silves, Urucará, Rio Preto da Eva, Iranduba, Manacapuru e Novo Airão também terão pontos de monitoramento no estado. A meta é que 144 pontos sejam supervisionados em todo o Amazonas, até o final de 2025.

Monitoramento

Os dados irão compor a Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade da Água (RNQA) e serão armazenados no Sistema de Informações Hidrológicas (HidroWeb), da ANAS, onde as informações serão integradas e divulgadas através do Sistema Nacional de Informação sobre Recursos Hídricos (SNIRH).

Para realizar o monitoramento nesta primeira etapa, técnicos da Assessoria de Recursos Hídricos da Sema utilizaram uma sonda multiparâmetro para mensurar os seguintes aspectos: oxigênio dissolvido, condutividade elétrica, PH, turbidez e temperatura do ar e da água.

Segundo o engenheiro químico da Sema, Mozaniel Barrozo da Silva, o Qualiágua vai beneficiar o estado com informações padronizadas. “Vamos caracterizar, em vários pontos de bacias do estado, informações que vão alimentar a rede da ANAS e do estado para medirmos os índices de qualidade da água em todo o sistema hídrico”, explicou.

(*) Com informações da assessoria