Quase dois anos após o crime, Justiça vai julgar ex-marido que matou empresária com 18 facadas em Manaus

 

Foto: Arquivo pessoal

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) irá julgar no próximo dia 28 de janeiro, o réu Ivan Rodrigues das Chagas, acusado do assassinato da empresária Jerusa Helena Torres Nakamine, em 12 de abril de 2018, no conjunto Campos Elíseos, bairro Planalto. Ele era ex-marido da vítima, que na época, para encobrir o crime “plantou” a “suspeita de suicídio”.

Fato desmentido pelo laudo da perícia do local do assassinato de Jerusa, o qual o Radar teve acesso com exclusividade. Segundo o documento, a empresária foi assassinada com 18 facadas, sendo que alguns golpes foram profundos e a maioria foram no rosto e pescoço, que quase a degolaram.  Um desses golpes, visivelmente uma ação de defesa, cortou músculos e tendões, chegando ao osso do antebraço esquerdo da vítima. Jerusa foi atacada a noite, em seu quarto.

“No local não foi encontrado desalinho das coisas e objetos que indicasse luta e/ou movimentação por busca e subtração de objetos de valor, nem sinais de abertura forçada das portas e portões”, diz um trecho do laudo. Diante das evidências, Ivan confessou o crime.

Na época, vizinhos de Jerusa contaram à Polícia que o ex-marido foi visto por volta das 5h da madrugada saindo de casa no dia do crime. Logo depois, ele teria retornado e, totalmente descontrolado, chorando e gritando, chamou a polícia, dizendo ter encontrado a mulher morta, o que segundo as investigações, demonstrou premeditação do crime.

O julgamento de Ivan pelo crime de feminicídio será no Plenário do Tribunal do Júri, no Fórum Ministro Henoch Reis. O processo tramita sob o número 0624832-33-2018.