‘Quebra de hierarquia entre entre políticos é crise’, diz jornalista

Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

Nesta última sexta-feira (4), um subordinado de Jair Bolsonaro desautorizou o presidente da República e gerou um desconforto interno diante da opinião pública.

Logo depois de Bolsonaro anunciar a redução do imposto de renda e o aumento do IOF, Marcos Cintra, que é diretor da Receita e subordinado de segundo escalão no organograma governamental, desautorizou o presidente e disse que nem uma coisa nem outra será realizada.

A falha na comunicação foi apontada como “crise” e “desastre” pelo jornalista Sidney Rezende, que trabalhou por quase 30 anos no Grupo Globo e atualmente atua de maneira independente.

“Ministros desautorizam o presidente em público e ajudam a derreter a credibilidade do Chefe, que parece não entender nada do que diz. Complicado. Quebra de hierarquia entre militares é falta grave, entre políticos, é crise. Para o cidadão, desastre”, escreveu Rezende no Twitter.

“Tosca a explicação do ministro Ônix Lorenzoni de que o presidente se enganou ao assinar documento sobre a SUDAM. Existem assessores qualificados como ele – e são pagos para isso! – justamente para evitar que o chefe da nação seja induzido ao erro. Pelo nível de seus assessores é possível antever o resultado que o responsável pela escolha irá colher mais adiante”, acrescentou.