Quem está pagando as viagens pelo interior do Amazonas do coronel Menezes?

Divulgação redes sociais do Coronel Menezes

Vários seguidores me fazem esta pergunta há meses e eu não sei responder: afinal, de onde está saindo o dinheiro para bancar as viagens pelo interior do Amazonas do ex-superintendente da Suframa, coronel Alfredo Menezes (Patriotas)? E olha que ele não vai sozinho não! Leva até comitiva junto com ele.

Por causa dessa minha vida corrida de chefe de família e de redação de um portal de notícias tenho, confesso, dado pouca atenção a esse assunto, mas essa minha alma de repórter não tem me deixado sossegar. Realmente os inteligentíssimos e sagazes seguidores do Radar têm razão quando querem saber de onde está saindo o dinheiro para o coronel fazer política nos municípios do interior do Estado, afinal ele já anunciou sua pré-candidatura ao Senado da República nas eleições de 2022.

Nas várias entrevistas que deu à imprensa nas quais falou sobre sua decisão de concorrer ao Senado Federal, Coronel Menezes tem aproveitado para atacar seu adversário direto nas urnas, o atual ocupante da cadeira de senador, Omar Aziz (PSD) que atualmente está presidindo a CPI da Covid-19 no Senado Federal, instalada para apurar as ações e omissões do Governo Federal durante a pandemia.

Coronel Menezes se autointitula “o único candidato com DNA bolsonarista” ao Senado, no Amazonas.

Enquanto faltou avião para que o então ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello trouxesse o máximo de oxigênio possível e salvasse os amazonenses de morrer asfixiados, não tem faltado avião para o coronel Menezes percorrer o interior do Estado.

Visivelmente em campanha política antecipada, Menezes diz, nas matérias feitas por sua assessoria, que está se reunindo com empresários, além de lideranças políticas e comunitárias de cada um dos municípios que tem visitado e alega que está cumprindo “a missão de percorrer todos os 61 municípios do nosso Estado e conhecer as necessidades de cada região” – o motivo para não ter feito isso antes de ser pré-candidato, é outra pergunta a ser feita.

O coronel também diz que suas viagens têm o objetivo de levar “uma mensagem de otimismo e o abraço do presidente Jair Bolsonaro” e, nessa hora, me vem à mente novamente minha saudosa e sábia mãe cabocla que dizia: “como se mensagem enchesse barriga”.

Para cumprir a missão de informar os seguidores do Radar, vamos atrás de respostas sobre quem paga a conta das viagens do “cumpadre” – sic proposital –  do presidente Messias Bolsonaro. Já chegaram ao Radar alguns sinais de fontes pagadoras, só falta a gente seguir o rastro.

E calejados nessa função de repórter, já até estamos preparados para, quem sabe, ouvir a mesma resposta que levou pela reta o internauta que teve a coragem de perguntar, em uma postagem do coronel Menezes falando sobre uma viagem à Tabatinga para encontrar Bolsonaro, qual a função que ele ocupa no Amazonas.

O coronel foi curto e grosso: “Não é da sua conta”. Só que nesse caso de quem está pagando as viagens da pré-candidatura do coronel, é da nossa conta sim!

Foto de divulgação nas redes sociais do coronel Menezes