R$ 173 milhões de isenção de ICMS + R$ 5,5 milhões pelo Sigit + isenção de PIS e Cofins pelo Governo Federal + transporte de péssima qualidade = redução de R$ 0,10. Entendeu a conta, gente?

Os “amiguinhos” aqui do Radar nos ligaram logo cedo hoje de manhã, contando que tinham recebido ligações telefônicas em tom de euforia por conta de “uma decisão do prefeito” que iria ser um duro golpe nos críticos de sua administração. Mas, segundo eles, não foram dados detalhes sobre o que iria ocorrer. Colegas repórteres também contaram que foram avisados por seus editores que haveria uma mega coletiva para que o prefeito fizesse o anúncio de sua decisão, com direito a cena minuciosamente preparada, cadeiras marcadas para secretarios ladearem o prefeito (cadeira número 1 SMTU secretário Pedro Carvalho), vereadores convocados para ficarem postados atrás do prefeito, em posição de continência (sentido!), e o prefeito trajando seu mais novo “look anúncio de redução de passagem de ônibus”, um terno digno de fazer inveja a Gianni Versace (sera que não é dessa marca?). E, segundo o companheiro jornalista, tudo preparado para a coletiva, e muita gente tendo urticária de tanta curiosidade pra saber o que ia acontecer (fora vereador que já tava pensando em dar o troco na oposição lá pelas bandas da Câmara) e o prefeito sai com a novidade de que iria reduzir a passagem de ônibus em R$ 0,10. “Foi uma ducha de água fria. Me fizeram acreditar que a coisa era bombástica e mais me pareceu um traque (também chamado pela gurizada de peido de velha)”, disse um politico lá do grupo dos notáveis do Rei Artur.

Será que a gente podia dar uma olhadinha?

E o prefeito disse que a redução da tarifa foi possível após análise da planilha das empresas de transporte coletivo – aquela que todo mundo sabe que existe, que o Pedro Carvalho e o prefeito vivem falando dela, mas a gente nunca viu. Então, subentendendo que uma planilha deva ter os custos operacionais das empresas versus o lucro obtido com a venda das passagens de ônibus, essa análise leva a crer que os empresários tão ganhando muito pouquinho, não é mesmo? Mas, não dá pra gente dar pelo menos uma olhadinha (nem que seja pelo buraco da fechadura) na hora que o o “grupo dos notáveis” estivesse reunido pra tal de análise da planilha só pra ver se na conta feita pelo Pedro Carvalho+técnicos da SMTU+técnicos da secretaria de finanças+ Prefeito de Manaus, não dava pra colocar um lucro das empresas de transporte coletivo = a menos (–) R$ 173 milhões do não pagamentos de ICMS, isenção concedida pelo Governo, e ainda menos (-) R$ 5,5 milhões em apenas sete meses, até junho do ano passado, que o Amazonino inventou (e é lógico que os empresários aceitaram de bom grado) do pagamento de R$ 0,05 (cinco centavos) pelos “endinheirados” usuários do transporte coletivo para a implantação de um tal Sistema Inteligente de Gestão Integrada do Transporte Coletivo (Sigit) que acabou ficando burro mesmo porque nada foi implantado. Sem contar com mais um sinalzinho, pelo amor de Deus, de menos (-) nos lucros dos empresários com a isenção dada, desta vez pelo Governo Federal, no pagamento do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) de empresas de transporte coletivo da  urbano. Segundo dados do próprio Governo Federal ao zerar as alíquotas do PIS e COFINS, a medida reduz em 3,65% os custos dos empresários do setor. Também colocaram aí na tal de análise da planilha mais esses milhões (que não vão dizer pra gente, né mesmo?) em redução de custos para os “tão necessitados” empresários do transporte coletivo?

Look de guerra

E o prefeito Artur Neto anunciou ainda que vai, ele próprio para os terminais de ônibus para verificar se os empresários estão cumprindo a redução dos R$ 0,10 dez centavos no preço da passagem de ônibus. E, nós aqui do Radar que preservamos pela segurança do nosso Chefe do Executivo, já avisamos de antemão que nos terminais não tem polícia e muito menos fiscais das empresas, nem mesmo pra impedir que crianças, mulheres e idosos sejam pisoteados na entrada e na saída da turba ensandecida dos coletivos – apesar do Pedro Carvalho “jurar de pé junto que tem. Cheios de preocupação com a integridade física do nosso prefeito, aconselhamos que não vá com seus looks “gari ao vistoriar serviços de coleta de lixo,  nem aquele pra posar pra foto de avião que caiu, nem o de fiscal da Covisa para apreensão do leite do meu filho em taberna, nem o look inundação, próprio para rompimentos de adutoras da Manaus Ambiental, e muito menos o visual de esporte radical de quem vai cair de paraquedas. Aconselhamos que use algo parecido com aquele look luta de boxe usado a tempos atrás em fotos praticando esse esporte, mas acrescente colete a prova de balas, quem sabe até a armadura de ferro do Rei Artur, porque tem o agravante do cobrador nunca ter os troco dos R$ 0,10 centavos. E isso, em tempos passados já deu até pancadaria dentro dos ônibus, quase até morte. Por favor, botem fiscais e policia pelo menos no dia que o nosso alcaide for para os terminais. Dá um jeito, Carvalho!