Radar tem acesso ao processo “sigiloso” onde MPE conclui, através de escutas telefônicas, que policiais eram cabos eleitorais (ver documentos)

escolta melo cópia

PMs acompanham o então candidato à reeleição, governador José Melo, em caminhada no bairro crespo

O Radar conseguiu captar imagens de páginas da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) 195816/2014 onde o Ministério Público Eleitoral (MPE-AM) trata do conteúdo das escutas telefônicas feitas pela Polícia Federal (PF) e aponta “flagrante configuração de abuso de poder político” por parte do governador José Melo (PROS), então candidato à reeleição.

Nessas páginas do processo, o MPE avalia: “De análise dos elementos de prova, notadamente das interceptações telefônicas autorizadas judicialmente, observa o Ministério Público Eleitoral que restou confirmada a atuação de policiais de alta patente (oficiais superiores) ocupantes de cargos estratégicos da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Amazonas em favor da candidatura do então candidato à reeleição José Melo de Oliveira”.

O MPE cita o nome dos oficiais envolvidos no esquema eleitoral e os atos ilegais cometidos por eles, assim como conclui que a corporação policial foi utilizada como verdadeiros cabos eleitorais atuando em diversos municípios do Amazonas sempre com o objetivo de beneficiar o candidato José Melo.

Ver páginas do processo:     

Documento JustiçaFederal página 1

Documento JustiçaFederal página 2

Documento JustiçaFederal página 3

Documento JustiçaFederal página 4

Documento JustiçaFederal página 5