Radar tenta confirmar informações repassadas pelo MPE em Coari sobre pagamento de servidores, mas promotor cala e some

ministerio publico coari

Em dezembro, após receber diversas denúncias de servidores públicos de Coari, principalmente das áreas de saúde e educação, sobre o não pagamento de salários e 13º, o Radar entrou em contato com o Fiscal da Lei, o Ministério Público do Estado (MPE-AM) para saber, afinal, se o promotor de Justiça do município, Felipe da Cunha Fish, estava a par dessas denúncias e se já tinha tomado alguma providência para se acautelar de que as Leis trabalhistas seriam cumpridas e os servidores de Coari teriam seus direitos garantidos.

A resposta do promotor Felipe da Cunha Fish ao Radar veio tão somente através da assessoria de imprensa do MPE. “O promotor informou que fez uma reunião com o secretário de administração de Coari, Elton Barreto, – o Radar entrevistou o advogado Elton Barreto e nossos leitores vão saber em instantes qual foi o resultado – e que ele assegurou que os salários de dezembro e o 13º salário dos servidores estarão regularizados até o dia 22 de dezembro”, informou ao Radar o assessor de imprensa do MPE, jornalista Saulo Borges, também em dezembro, no início do mês.

O promotor Felipe da Cunha Fish, segundo a assessoria de imprensa do MPE, também teria questionado o secretário Elton Barreto sobre denúncia feito por um grupo de cerca de 30 servidores reclamando do não pagamento de seus salários, nem 13º. “O secretário disse que esses servidores não receberam porque não aparecem pra trabalhar”, disse o promotor através da assessoria.

Se as alegações do secretário eram verdadeiras ou não, o promotor disse que só iria verificar depois que retornasse das férias no dia 05 de janeiro. “Assim que retornar a Coari, o promotor Felipe da Cunha Fish disse que vai abrir investigação e, caso o secretário não tenha cumprido com o que foi acordado em reunião com ele poderá até mesmo responder criminalmente”, informou a assessoria de imprensa do MPE.

Calou e sumiu

Assumindo uma postura cautelosa – até porque prudência e caldo de galinha não faz mal a ninguém, não é mesmo gente? – o Radar não esperou tão somente o dia 22 de dezembro, mas até o final do último mês do ano, para ver se as informações repassadas pelo promotor Felipe da Cunha Fish, sobre a reunião com o secretário Elton Barreto, se concretizavam e a Prefeitura de Coari iria realmente pagar os salários dos servidores públicos e o 13º salário. Mas, já se sabe por informações do próprio prefeito Igson Monteiro que isso não aconteceu. Ele afirma que os servidores efetivos estão com seus salários de dezembro pagos, o que falta seria 20% dos salários dos comissionados e a segunda parcela do 13º  salário de metade do total de servidores.

Os funcionários públicos garantem que isso não é verdade Para tirar as dúvidas e descobrir, de uma vez por todas, quem está com a razão, Prefeitura ou servidores públicos, o Radar está há mais de 24 horas tentando saber se o Fiscal da Lei, a promotor de Justiça de Coari, após ter voltado das férias já apurou a real situação do cumprimento das Leis trabalhistas pela administração do município e o pagamento dos direitos do trabalhadores. Desta vez, não conseguimos contato com o promotor Felipe da Cunha Fish nem mesmo através da assessoria de imprensa. “O promotor não atende ao telefone”, informa a assessoria de imprensa do MPE. Quem ainda responde ao Radar, através de mensagem telefônica é o procurador geral de Justiça do Estado, promotor Fábio Monteiro: “Não estou em Manaus. Mas vou ver o que está ocorrendo e entro em contato”. O Radar e principalmente os servidores públicos de Coari agradecem! (Any Margareth)