Reajuste salarial da PM: Governo amarga mais uma derrota na Assembleia (ver vídeo)

Doze deputados votaram “sim”, ela aprovação da emenda, e nove votaram “não” rejeitando

Lideranças do governo de Amazonino Mendes na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam), como por exemplo os deputados Vicente Lopes (PV), Dermilson Chagas (PP) e Belarmino Lins (PP) bem que tentaram de todas as formas que seus colegas de Parlamento rejeitassem as mudanças no pagamento do reajuste salarial do policiais militares e bombeiros, mas não deu em nada.

Mesmo numa votação apertada, a emenda dos deputados Cabo Maciel e Alessandra Campelo foi aprovada por 12 votos a favor e nove contra, mudando o pagamento do maior percentual de reajuste, 10,85% para este ano e o menor índice de 4,08% para o ano de 2020. Na mensagem do Governo, o menor índice ficava para este ano, 4,08% .

A emenda defini um índice de reajuste de 9,27% para o ano que vem. No total, escalonado até 2020, os Policiais militares e bombeiros terão reposição de perdas salariais no valor de 24,2%

Os governistas insistem que a emenda é inconstitucional, enquanto os deputados de oposição têm opinião oposta