Receita tributária do AM cresce R$ 430 milhões mas não suporta aumento de gasto com pessoal, afirma Serafim

“O aumento com pessoal é maior que o aumento da arrecadação tributária, então isso significa dizer que o Estado, insistindo em manter empresas terceirizadas, insistindo em contratar Organizações Sociais, está fazendo com que a Sefaz apenas enxugue gelo. Não vai resolver nada”. A declaração é do deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), ao mostrar que o crescimento da receita tributária do Governo do Amazonas neste 2º quadrimestre de 2019, na comparação com 2018, foi de R$ 430 milhões. O valor, no entanto, não supera o aumento de gastos com pessoal no mesmo período, que foi de R$ 624 milhões.

A avaliação foi durante audiência pública nessa quarta-feira (9) realizada pela Comissão de Assuntos Econômicos da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) onde técnicos da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) apresentaram a Avaliação das Metas Fiscais do 2º Quadrimestre de 2019.

“A Sefaz trabalhou muito bem o aumento da arrecadação tributária, onde de janeiro a agosto de 2018 passou de R$ 6,66 bilhões (em 2018) para R$ 7,09 bilhões (2019). Portanto, o crescimento foi de R$ 430 milhões. Agora, só para que se tenha uma ideia da situação, isso não supera o aumento da despesa com pessoal, que saiu de R$ 4,12 bilhões (no 2º quadrimestre de 2018) para R$ 4,74 bilhões (no 2° quadrimestre de 2019), portanto, um aumento de R$ 624 milhões”, destacou Serafim.

Despesas

Os gastos com pessoal no 2º quadrimestre de 2019 representam, segundo o deputado, um aumento de 15% quando comparado ao mesmo período de 2018. Para ficar pelo menos equilibrado a receita com a despesa seriam necessários mais R$ 194 milhões em arrecadação.

“O governo precisa atacar as despesas, tem que contratar as pessoas de forma direta, tem que evitar Organizações Sociais, tem que evitar empresas terceirizadas”, disse Serafim.

Com informações da assessoria