Recepcionista de hotel é agredido por cliente ao medir temperatura (ver vídeo)

reprodução

Um homem de 30 anos agrediu um recepcionista do Via Garden Hotel, em Varginha (MG), no último sábado (8/8). Imagens vazadas da câmera de segurança do local mostram o momento em que supostamente o funcionário teria que medir a temperatura do cliente, devido à pandemia do coronavírus.

A Polícia Militar informou que foi acionada por volta das 23h30. O recepcionista afirmou ter sido agredido pelo rapaz ao informar que seria necessário fazer a medição da temperatura.

O funcionário disse aos policiais que, após ir embora, o suspeito teria ligado para o local e ameaçado a vítima novamente de agressão. O acusado não foi preso.

O que dizem as partes

Procurado, o Hotel Via Garden não quis se posicionar sobre o assunto.

Ruan Rezende, advogado de defesa do rapaz acusado, explicou que o vídeo é tendencioso. “Meu cliente costuma utilizar o serviço do hotel e naquele dia o funcionário (que era novato) começou a exigir pagamento antecipado, disse que ele não podia entrar de chinelo no hotel. Começou a menosprezar, ofender e humilhar o meu cliente pela roupa que estava usando”, explicou.

“O vídeo foi cortado. É tendencioso, vendo daquela forma. Nós vamos buscar a veracidade dos fatos. Até porque quando meu cliente foi embora ele [a vítima] pegou o contato dele no cadastro do hotel e o ameaçou”, disse Rezende.

Veja a nota na íntegra:

“Pela presente nota, esclarecemos que a situação demonstrada no vídeo, que está circulando nas redes sociais e nos aplicativos de conversa, não evidenciam a verdade dos fatos e não está sendo reproduzido na íntegra, prejudicando a honra e a moral do cliente.

Na verdade, o cliente foi agredido verbalmente e também sofreu discriminação por parte do atendente do hotel, o qual criou empecilhos, injustificados, para não realizar a reserva.

Ressalta-se em momento algum o atendente do hotel pediu para auferir a temperatura do cliente. Pelo contrário, o atendente, a todo o momento, tratou o cliente com desprezo e ironia, debochando da situação e da sua condição física, e passou a buscar motivos para não realizar a reserva do quarto, inclusive exigiu o pagamento da diária de forma antecipada, vistoriou a placa do veículo, solicitou documentos pessoais da namorada do cliente. Essas exigências são atípicas para a situação.

O cliente, com intuito de resolver o problema, solicitou a presença do gerente, sendo que tal pedido fora negado pelo atendente, que passou a ironiza-lo. O recepcionista ainda perseguiu o cliente até o veículo para tentar agredi-lo novamente. Após o ocorrido, o atendente ainda ligou diversas vezes para o telefone registrado no cadastro do cliente para ameaçá-lo.

O cliente afirma que sempre foi bem tratado pelo hotel e exalta as suas experiências passadas naquele local. Assim, devido à situação e a parcialidade dos fatos levados a público, as medidas judiciais cabíveis serão tomadas em face dos responsáveis”