Rechaçando matéria da revista Veja, Braga envia documento da obra da Arena mostrando que não fez nenhum pagamento

Braga 12 capa 2

Em resposta a matéria da revista Veja, que trata sobre o depoimento do ex-presidente da construtora Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, onde ele teria citado o nome de vários políticos supostamente beneficiados com propina de obras da Copa do Mundo, entre eles, o agora ministro Eduardo Braga (PMDB) e o agora senador, Omar Aziz (PSD), Braga enviou ao Radar nota oficial onde se diz “surpreso e indignado” com a matéria.

“Para o bem da verdade, esclareço mais uma vez, eu não participei da gestão de nenhuma obra para a Copa de 2014”, diz o ministro. Braga lembra que saiu do governo do Estado em março de 2010 e diz que “essa informação pode ser confirmada com uma simples consulta ao Sicop (Sistema Integrado de Controle e Gestão de Obras Públicas), ferramenta do Governo do Estado que dá acesso ao público aos atos administrativos e pode esclarecer com dados oficiais todo o histórico das obras”.

No documento do Sicop enviado por Braga (ver documento no final da matéria), e que está no site Transparência do Governo do Estado, o período de vigência do contrato com a Andrade Gutierrez para construção da Arena da Amazônia está fixado em 01/07/2010 a 10/06/2014. Esse também é o período datado para execução da obra. Nesse espaço de tempo, julho de 2010 a outubro de 2014 (ano das eleições estaduais) quem esteve no governo foi Omar Aziz e José Melo.

O Sicop também aponta, nesse período, o pagamento de aditivo no valor de R$ 124,3 milhões que, acrescido ao valor inicial da obra, R$ 499,5, fez com que o custo de construção da Arena da Amazônia ultrapassasse R$ 623 milhões. (Any Margareth)

Nota Oficial: 

Fiquei surpreso com as declarações atribuídas ao Sr. Otávio Azevedo, em Delação Premiada, envolvendo as obras da Copa do Mundo no Amazonas. Para o bem da verdade, esclareço mais uma vez que não participei da gestão de nenhuma obra para a Copa de 2014.

Saí do Governo do Estado em Março de 2010, sem praticar nenhum pagamento ou aditivo para obras relacionadas com a Copa do Mundo, muito menos da ARENA DA AMAZÔNIA. Essa informação pode ser confirmada com uma simples consulta ao SICOP, ferramenta do Governo do Estado do Amazonas que dá acesso público aos atos administrativos e pode esclarecer com dados oficiais todo o histórico das obras.

Portanto foi com INDIGNAÇÃO E SURPRESA que vi meu nome citado na edição da Revista Veja desta semana. Aguardo ter acesso às informações para poder responder na forma jurídica e com transparência ao Povo do Amazonas.

Meu único empenho foi em conquistar o direito para nosso Estado participar desse grande evento mundial.

Confio em Deus e na justiça para que a verdade prevaleça.

Eduardo Braga

DOCUMENTO SICOP