Relator da CPI da Saúde pode pedir o afastamento do governador do cargo

Essa notícia chegou ao Radar antes mesmo do final de semana, mas decidi escrever apenas depois de falar com o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, deputado Fausto Junior (PTB). Ele confirmou a informação.

O deputado Fausto Junior disse que está analisando a possibilidade de pedir o afastamento do cargo do governador Wilson Lima e solicitou, inclusive, um parecer da assessoria jurídica da CPI sobre a legalidade do pedido de afastamento do governador.

O parlamentar comentou que seu relatório com as conclusões das investigações sobre os desvios de recursos da saúde pública do Amazonas está quase pronto, mas não quis entrar em detalhes sobre o possível pedido de afastamento do governador Wilson Lima do cargo.

O que ficou entendido em conversas telefônicas, nesse final de semana, não só com o deputado Fausto Junior, mas também com outro membro da CPI da Saúde, o deputado Wilker Barreto (Podemos), é que eles acreditam ter provas suficientes, resultantes das investigações, relacionando o governador a um esquema criminoso na saúde pública do Amazonas.

O relatório com as conclusões da CPI da Saúde será enviado aos órgãos de controle das administrações públicas estaduais, como o Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) e Ministério Público do Estado (MPE-AM), mas por envolver recursos federais destinados à saúde também será entregue ao Ministério Público Federal (MPF).

Os deputados pretendem também entregar o relatório ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde o governador Wilson Lima já está sendo investigado por corrupção, fraude em licitação e desvios de recursos públicos federais destinados ao combate à pandemia de Covid-19.

O governador foi um dos alvos da Operação Sangria para apurar, segundo o STJ, a existência e atuação de uma organização criminosa no governo do Amazonas responsável pela compra superfaturada de respiradores, direcionamento da contratação da empresa, lavagem de dinheiro e montagem de processos para encobrir os crimes praticados. Todas as operações teriam a participação direta do governador Wilson Lima.

As informações que chegam ao Radar levam a crer que a CPI da Saúde chegou a mesma conclusão do STJ em seu relatório.