Renato Gaúcho espera Real mais forte do que na semi

Time brasileiro enfrenta equipe na Espanha neste sábado

Renato Gaúcho prometeu luta e respeito na decisão do Mundial de Clubes entre Grêmio e Real Madrid do próximo sábado (16), às 15h (de Brasília). Na preparação para a última partida da temporada, o técnico gremista elogiou o adversário e alertou que o desempenho dos espanhóis na semifinal, contra o Al Jazira, foi mentiroso. Ainda assim, acredita que o clube gaúcho tem plenas condições de buscar a vitória.

“Por ser uma final de Mundial, independente do adversário, (espero) um jogo muito difícil. Em se tratando do Real Madrid, ainda mais, porque ele está entre as três melhores equipes do mundo”, afirmou à “Grêmio TV”.

Renato projetou uma partida equilibrada, apesar do alto nível técnico do adversário do Grêmio. O treinador não descartou que o jogo vá para a prorrogação ou mesmo para os pênaltis.

“Eles querem muito, o Grêmio também. Tenha certeza que vai ser uma grande partida, porque o Real é uma das melhores equipes do mundo, o Grêmio vem muito bem também, e até porque as duas equipes não chegaram à toa”, analisou.

Enquanto o Grêmio avançou para a decisão na prorrogação, o Real Madrid precisou buscar a virada contra o Al Jazira. Os madrilenos foram com um time misto para aquele jogo, no entanto, algo que Renato tem certeza que não se repetirá no sábado, quando os espanhóis já terão se adaptado completamente ao fuso horário dos Emirados Árabes.

Apesar do desafio, Renato ainda afirmou que o Grêmio tem um trunfo contra os espanhóis. Enquanto Zidane admitiu não conhecer direito como os gaúchos jogam, o treinador brasileiro disse justamente o contrário sobre o Real Madrid, cujos jogos sempre são transmitidos no Brasil.

“Sem dúvida alguma (facilita a preparação). Quanto mais uma equipe aparece na TV, joga, mais você sabe sobre ela. O Real onde joga o mundo está vendo. Conhecemos tudo do Real Madrid. Mas o que falo para os jogadores eu falo para vocês: é uma qualidade muito grande dos jogadores do Real Madrid”, explicou.

“Jogadores muito inteligentes e, no momento que você tem craques do outro lado, não é cada partida, é cada minuto eles podem inventar algo diferente dentro do campo, porque eles têm essa possibIlidade. Quanto a isso a gente tem que estar muito bem preparado”, concluiu. Com informações da Folhapress.