Reunião termina sem acordo, mas Grêmio não desiste de Tardelli

A reunião entre os representantes do Grêmio e o estafe de Diego Tardelli terminou sem acordo. O encontro aconteceu nesta sexta-feira (8), em São Paulo. O clube gaúcho, contudo, não desiste de ter o jogador.

O Grêmio apresentou sua oferta e ouviu o que Tardelli imagina para voltar a defender um clube brasileiro. Não houve negativa imediata, mas algumas pendências entre os objetivos das partes demanda novas baterias de conversas.

O presidente do clube, Romildo Bolzan Júnior, e o CEO, Carlos Amodeo, retornarão a Porto Alegre e qualquer situação mais definitiva deve caminhar para os próximos dias.

Diego Tardelli, de 33 anos, é pedido direto de Renato Gaúcho, que deixou claro em entrevista coletiva o quanto quer a contratação dele.

“Eu falei para a direção que tem que pegar todo dinheiro que o Grêmio tem e investir na contratação do Tardelli. É o que eu pedi para eles. É isso”, disse o treinador. “É um sonho meu trabalhar com ele, e vice-versa. Eu falava com ele, ele me dizia que ficaria mais um ano fora, que a família estava bem lá, que o salário era alto. Mas agora mudou. Eu falei com ele sobre salário também, porque o Grêmio ainda não pode competir com os clubes de fora. Mas eu posso garantir que o Grêmio fez uma bela oferta de salário para ele”, completou.

A oferta salarial a Diego Tardelli apresentada pelo Grêmio é de R$ 900 mil por mês, com mais luvas e bonificações elevando os valores para mais de R$ 1 milhão mensal num período de dois anos. Ao Atlético-MG, que também pretende a contratação dele, o valor solicitado era de R$ 1,5 milhão por mês.

O Grêmio não desiste do acordo e espera ainda conseguir persuadir o jogador. Na última temporada, Tardelli marcou 20 gols em 28 jogos, na anterior foram 15 gols em 18 jogos.

Desde 21 de janeiro, o jogador está sem contrato ao ver encerrar o vínculo com o Shandong Luneng, da China.