Rio Negro conquista bicampeonato de handebol feminino no Amazonas

Com uma vitória maiúscula, o Atlético Rio Negro Clube venceu o Handebol Clube Manaus (HCM)/IBIN por 42 a 26, e conquistou o bicampeonato do Amazonense de Handebol adulto feminino da Série Ouro, nesse domingo (16). O jogo foi realizado no ginásio do Rio Negro, na Avenida Epaminondas, no centro da cidade. Foi o segundo ano consecutivo, que as duas equipes se enfrentam na grande decisão. A competição é uma realização da Liga de Handebol do Amazonas (Liham).

Feliz pelo bicampeonato, o treinador das meninas do Galo da Praça da Saudade, Jefferson Oliveira, disse que a equipe teve uma postura totalmente diferente em relação ao jogo da primeira fase, quando perdeu para as mesmas adversárias. Segundo ele, na final pode contar com a formação titular.

“O que mudou da outra partida que perdemos, que hoje era uma final, outra vontade, outra pegada e o time estava completo. Nós viemos do Intermunicipal em Maués, onde fizemos dois jogos, depois mais dois seguidos e o terceiro hoje, enfim, as meninas estavam ligadas. Elas jogaram em outro ritmo, totalmente diferente, fizeram o contra-ataque e a defesa trabalhou bem”, explicou.

Eleita a melhor jogadora do campeonato, a ponta esquerda, Nora, 29 anos, há onze anos joga a modalidade, desde quando iniciou em Parintins. Há quatro anos no Rio Negro, ela disse que o prêmio é bom, mas principalmente o título da temporada.

“É muito gratificante essa vitória, porque treinamos o ano todo para isso. Nós começamos há um ano atrás com uma brincadeira, e hoje somos bicampeã. Ganhar é bom demais, mas ter sido a melhor jogadora é uma sensação muito boa de dever cumprido. Como atleta me dedico muito em quadra”, finalizou.

Visivelmente abatido pelo resultado, mas principalmente pelo baixo rendimento da equipe em quadra, o comandante do HCM/IBIN, Odivaldo Marques, lamentou o desempenho do elenco como um todo na final.

“A equipe psicologicamente não se encontrou, e isso foi notório. No primeiro tempo houve muito erros de fundamentos, passe, recepção e arremesso precipitado. O que me deixa triste, foi que minha equipe não conseguiu jogar, porque perder na final pode acontecer, mas ruim é quando não se consegue render. Nós treinamos o ano inteiro para esse jogo. Não fazemos muita coisa detalhada para outras equipes, mas o Rio Negro fazemos de forma bem cautelosa e específica”, contou.

Destaques

Após o término da final do adulto feminino da Série Ouro, a coordenação da Liham premiou os destaques do Campeonato Amazonense de Handebol. O Rio Negro ficou com dois prêmios: a artilheira com Kellen Dantas, com 76 gols e melhor jogadora com a ponta esquerda Nora. A melhor goleira ficou com Leni Cristina, do HCM/IBIN.

Com informações da assessoria de imprensa.