Rio Negro recua pelo terceiro dia seguido e CPRM diz que ainda é cedo para confirmar inicio da vazante

As águas haviam parado de subir desde a última quarta-feira (22), quando alcançou 29,75 metros.

Texto e fotos – Divulgação / Semseg

Após atingir a 4° maior cheia, a cota do Rio Negro recuou pelo terceiro dia seguido e marcou 29,72 metros, na terça-feira (28). As águas haviam parado de subir desde a última quarta-feira (22), quando alcançou 29,75 metros.

De acordo com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), mesmo com a descida do nível dos rios nos últimos dias, ainda é cedo para confirmar o início da vazante. A capital ainda continua em estado de inundação severa, que é de 29 metros que foi o maior nível já registrado desde o início da série história, em 1902.

Com a subida das águas a paisagem urbana da capital, especialmente na região central mudou e vários trechos de avenidas tiveram que ser alteradas como foi o caso das avenidas, Eduardo Ribeiro e Floriano Peixoto próximo à Praça do Relógio.

A avenida dos Barés, próxima das feiras da Banana e da Manaus Moderna, também tiveram o trecho interditado por conta da cheia. A rua Barão de São Domingos, na mesma região da capital, também foi bloqueada.