Rio Negro ultrapassa marca histórica dos últimos 119 anos e alcança 30m neste sábado (5)

Foto: Rafa Braga

A cheia do Rio Negro já é a maior dos últimos 119 anos e neste sábado (5), o nível da água alcançou a marca dos 30 metros. Os impactos do fenômeno natural agravados pela falta de infraestrutura já atingiu centenas de amazonenses e comerciantes da área central de Manaus.

Os lojistas precisaram se reinventar para não ter que fechar as portas novamente, e alguns bairros que já estão totalmente alagados, famílias ainda aguardam o auxílio da Prefeitura de Manaus, para poder construir pontes e marombas.

 Trânsito

A subida das águas atingiu diretamente o trânsito, motoristas que passam pelo local afirmam que o tráfego ficou ainda mais lento. Os passageiros do transporte público agora precisam pegar ônibus na avenida Sete de Setembro, sem ao menos ter uma cobertura para proteger do sol ou chuva.

Com a mudança, os veículos que trafegam pela rua Governador Vitório deverão dobrar à esquerda no cruzamento com a avenida 7 de Setembro, seguir até o cruzamento com a avenida Eduardo Ribeiro, onde serão desviados para a avenida 7 de Setembro no sentido inverso de fluxo até a avenida Getúlio Vargas, onde poderão seguir em frente ou virar à esquerda e seguir o itinerário normalmente.

Chuva 

A chuva que atingiu a cidade de Manaus causou alagamentos em vários pontos da capital. Sem ter para onde escoar, a água da chuva se misturou ao rio e inundou a rua Floriano Peixoto, nas proximidades do edifício garajão.

 

Bairros atingidos

Foto: Cristiam Guerreiro

Todos os anos, a cheia atinge 15 bairros de Manaus entre eles estão; Tarumã, São Jorge, Santo Antônio, Glória, Compensa, Educandos, Raiz, Betânia, Presidente Vargas, Aparecida, Centro, Cachoeirinha, Mauazinho, Colônia Antônio Aleixo e Puraquequara.

Na zona rural ribeirinha, foram atingidas as áreas do Nova Canaã do Aruau, São Francisco do Aruau, Lindo Amanhecer, São Sebastião do Cuieiras, São Francisco do Chita, Bela Vista do Jaraqui, Nova Jerusalém do Minpidiau, São Sebastião do Tarumã-Mirim, Agrovilla, Cueiras do Tarumã-Açu, Nova Esperança do Apuau, Santa Isabel do Apuau, Nova Aliança do Apuau, União e Progresso, São Francisco do Tabocal, São Raimundo e o assentamento Nazaré.

Em todo o estado, 58 dos 62 municípios registram prejuízos por causa da cheia. No total, mais de 455 mil pessoas foram atingidas no Amazonas. A previsão da Defesa Civil do município é que mais de 5 mil pessoas sejam afetadas pela cheia em Manaus.