Roberto Sá é afastado da função de secretário de Segurança do Rio

O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, Roberto Sá, será afastado das funções. A decisão foi tomada em uma reunião no Palácio Laranjeiras, que acabou por volta de 9h30 desta sexta-feira (16).

Diante da crescente onda de violência, o governo federal decidiu intervir no Estado. O general Walter Souza Braga Neto, do Comando Militar do Leste, foi escolhido como interventor militar e assume as funções de chefia na área de segurança. Sá, no entanto, não será exonerado do cargo de secretário.

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) deve fazer o anúncio do afastamento de Sá em uma entrevista coletiva que será dada em Brasília após a assinatura do descreto da intervenção. Ainda não há informação se coronéis do comando da PM também serão afastados.

Intervenção

O afastamento do secretário de Segurança ocorre pouco depois do anúncio da decisão do presidente Michel Temer (PMDB) de decretar intervenção federal na segurança pública no Estado do Rio. O prazo da intervenção é até 31 de dezembro de 2018, último dia do governo de Pezão.

Com essa medida, as Forças Armadas assumem o comando das polícias Civil e Militar no estado. A decisão ainda terá que ser analisada pelo Congresso Nacional.

Durante a intervenção, a Constituição Federal não pode ser alterada, o que pode afetar o andamento a reforma da Previdência, que é uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) e tem votação marcada para a semana que vem na Câmara dos Deputados.

Dentro do governo, foi discutida a hipótese de suspender a intervenção durante a votação da Previdência, e depois retomá-la. Mas ainda não há definição sobre essa estratégia.

Fonte: G1