Rodoviários anunciam que paralisação total dos ônibus é por tempo indeterminado

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano e Rodoviários de Manaus e Região Metropolitana (STTRM) anunciou que vai manter 100% da frota de ônibus parada nas garagens, por tempo indeterminado. A decisão aconteceu após reunião sem acordo, nessa quarta-feira (30) entre os rodoviários, os empresários e a Prefeitura de Manaus. Este é o terceiro dia de greve da categoria.

Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, a paralisação total da frota de ônibus na capital será mantida até que todas as reivindicações da categoria sejam atendidas. “A greve está mantida, por tempo indeterminado, enquanto não pagarem o reajuste salarial de 6,5%, além do dissídio coletivo de 2018/2019”, afirmou o representante.

Para tentar atender a população neste feriado, a Prefeitura de Manaus liberou a circulação de micro-ônibus alternativos pelas ruas da capital.

De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), a paralisação dos rodoviários é ilegal e já prejudicou mais de 600 mil pessoas.

“Mais uma vez a população foi penalizada com uma greve irregular. O Sinetram confia na justiça e entende que o diálogo envolvendo empregadores, empregados e a Prefeitura, é o melhor caminho para o enfrentamento da questão, de forma a preservar o interesse público. Desde que se respeite a ordem judicial e o direito de ir e vir da população, estaremos abertos ao diálogo, pois a população não merece isso”, explica o assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges.

Na última terça-feira (29), a presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Eleonora de Souza Saunier, deferiu uma nova liminar e aumentou a multa para de R$ 30 mil, para R$ 200 mil por hora de paralisação e em caso de descumprimento, pediu apoio das forças policiais para manter a ordem.