Rodoviários das empresas Açaí e Global Green paralisam atividades por falta de pagamento do 13º salário

Os rodoviários das empresas Açaí e Global Green do sistema de transporte público de Manaus paralisaram as atividades por volta das 16h dessa quinta-feira (20).

Os funcionários recolheram os veículos para as garagens das empresas em protesto por conta do não pagamento do 13º salário. O último dia para pagamento do benefício, em cota única, é nesta quinta. Eles ficaram em frente à garagem da empresa e afirmaram que a paralisação das atividades é por tempo indeterminado.

O prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB) informou, durante coletiva de imprensa para entrega de donativos às vítimas do incêndio ocorrido no bairro Educandos, na última segunda-feira (17), que a paralisação é fruto de um impasse entre os trabalhadores e a empresa. O prefeito informou, ainda, que a Prefeitura já foi, preventivamente, ao Tribunal Regional do Trabalho para evitar qualquer possibilidade de greve do sistema de transporte público.

“Os rumores são de insensibilidade. Não vejo razão para uma greve. Vejo que tem que sentar, conversar, esgotar todas as possibilidades de negociação. E mais, greve em serviço essencial deve ser autorizada pela Justiça do Trabalho, tem que estabelecer quantos ônibus funcionam e quantos não funcionam. Não é porque o ‘fulano’ quer parar naquele dia e ele vai e para. Há regras e essas regras têm que ser exigidas por mim como prefeito. Já fomos preventivamente ao Tribunal do Trabalho para nos precavermos sobre mais essa hipótese de mais uma greve que seria uma greve absurda e, como todo greve do sistema de transporte coletivo, uma greve contra o povo de Manaus”, disse Arthur.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) confirmou a paralisação nos terminais de linha do Viver Melhor, União da Vitória, Jardim Petrópolis, Coroado, Mauazinho, Nova Cidade, Vila Marinho e Via Norte.