Rotta defende a criação de Frente Parlamentar em defesa da recuperação da BR 319

Marcos Rotta 319

Depois de percorrer 870 quilômetros, de Manaus a Porto Velho, pela BR 319, o deputado estadual Marcos Rotta (PMDB) relatou as dificuldades da travessia e defendeu a criação de uma frente parlamentar em defesa da repavimentação da BR.

“Encontramos uma rodovia fantasma, sobretudo neste trecho complicado até Humaitá, chamado de meião, onde existem mais de 106 pontes que nós ultrapassamos em condições muito perigosas, algumas ficaram destruídas logo após a nossa passagem. Na estrada há muito barro, atoleiro e ninguém ás margens. O objetivo maior dessa viagem é conhecer os problemas da BR, conversar com as pessoas que vivem nos arredores e que passam pela rodovia, conversar com representantes de Roraima e Rondônia para que, juntos, nós possamos fortalecer o nosso pensamento, que é o de criar uma frente parlamentar em defesa da reconstrução da BR 319. Já conversei com o deputado federal eleito pelo Solidariedade, de Rondônia, Expedito Netto (SDD), um jovem idealista que sabe a importância de interligar o Estado do Amazonas com o restante do país. Para se ter uma ideia, hoje, somos o único Estado brasileiro nesse processo de isolamento terrestre com o restante do Brasil”, afirmou Rotta.

Estrada-Parque

Além da criação de uma frente parlamentar, Rotta também defende a transformação da BR 319 em uma estrada-parque, para driblar as questões ambientais que ainda impedem a repavimentação da estrada e, garantir a preservação no local.

“Nós tivemos algumas informações, inclusive no Estado de Rondônia, que tem muita gente lucrando com esta situação da BR 319 e não podemos permitir, de maneira nenhuma, que tão somente por questões ambientais, este sonho que é, principalmente de Roraima, de Rondônia e do Amazonas, não seja concretizado. Nós devemos respeitar as leis ambientais, mas temos muitas alternativas para realizar o sonho de ter de volta a BR. Nós já temos, ao longo das margens da 319, muitas unidades de conservação, muitas áreas de proteção e podemos, inclusive, estender isso, criando uma estrada-parque, nos moldes do que já acontece com grande parte da BR 277, onde estão localizadas as Cataratas do Iguaçu e onde não existe qualquer possibilidade de construção às margens da rodovia. Dizer que não podemos revitalizar a BR 319 porque se tem medo da ocupação, é atestar a incapacidade de gerenciar, afirmou o parlamentar”.

 Apartes

Rotta foi aparteado por vários parlamentares que prometeram unir forças, em defesa da 319. O deputado estadual Abdala Fraxe (PTN) lamentou a falta de interesse do governo federal.

“Cumprimento V. Exa pelo brilhante esforço e quero dizer que nada disso me causa estranheza. A falta de capacidade administrativa do governo federal não é novidade para ninguém e essa estrada é tratada pelas autoridades como se fosse uma estrada nova, como se estivéssemos construindo ainda. Sei que na década de 70 essa estrada funcionou perfeitamente com um elo de ligação entre o Amazonas e o restante do Brasil. A BR tem que ser transformada, mas infelizmente a forças que impedem a conclusão dessa obra são muito fortes. O governo federal tem um olhar distante para a Amazônia, e , eu acredito que nenhum técnico ambiental fez essa viagem para perceber a situação preocupante de quem tenta sobreviver nessa região, com uma estrada como essa. Compactuo com sua luta para que o sonho da reconstrução da BR seja realizado”, disse Fraxe.

Já o deputado Sidney Leite (DEM) também afirma que o que falta é vontade política.

“Nós temos 4 milhões de hectares de área de conservação no meião da BR 319, me refiro ao trecho entre o Careiro Castanho até Humaitá e, essas unidades de conservação estão em pleno funcionamento, com acompanhamento, inclusive do IBAMA. Não há justificativa para a BR continuar desse jeito, a não ser que não haja interesse do governo federal. O Amazonas tem 52% de sua área preservada. A estrada é estratégica para o Brasil como um todo e não fragiliza a navegação, porque o transporte pelas balsas é mais econômico, principalmente o de grãos. Parabenizo V. Exa e volto a dizer que pode contar comigo para que possamos estar juntos nesta luta, pelo bem do Estado do Amazonas”, afirmou Sidney Leite.

A deputada Vera Castelo Branco (PTB) e o deputado Belarmino Lins (PMDB) também prestaram apoio.

“Parabenizo V. Exa pela sua atitude. Não sei porque os políticos brasileiros nos condenaram ao isolamento. Falta vontade política para driblar essas questões ambientais e eu espero que em um futuro próximo, valorizem a integração nacional com a repavimentação da BR 319, para trazer desenvolvimento e geração de emprego e renda ao Amazonas e ao Brasil”, explanou a deputada.

“Parabenizo a iniciativa de V. Exa que será a voz do Amazonas na Câmara dos Deputados em defesa da BR 319, e sei que em um futuro próximo teremos boas notícias a respeito da reconstrução dessa estrada”, disse o peemedebista Belarmino Lins.

Rotta afirmou que vai lutar, para unir forças, em prol da interligação do Estado do Amazonas ao restante do país.

“O Estado brasileiro não pode, de maneira alguma, continuar virando as costas para o Amazonas, então nós vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance, para que a gente possa interligar o Estado do Amazonas ao Brasil. Nós estamos falando do escoamento do Polo Industrial de Manaus, da chegada de alimentos e diversos insumos de outros Estados brasileiros, com preços muito mais vantajosos aos consumidores amazonenses. Então, esta viagem foi, de fato, um desafio. Conseguimos superar em pouco mais de 27 horas um trecho de mais de 870 Km cheio de perigos, nesta estrada abandonada. Temos a necessidade de, pelo menos, aumentar a discussão em torno da BR 319 e, queremos agora, com conhecimento em loco, depois de ver de perto a situação da BR, travar uma batalha com muito mais conhecimento de causa do que antes. O que não podemos aceitar é que, uma vez o Estado brasileiro não possuindo condições de monitorar a ocupação desordenada da BR, ateste a incapacidade administrativa e, não podemos mais acreditar que somente por conta da questão ambiental não teremos este sonho realizado” finalizou Rotta.