Rotta defende a Reforma Política Democrática no Brasil

MARCOS ROTTA (PMDB) ACA (3)

Líder do PMDB na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Marcos Rotta destacou a importância da Reforma Política no Brasil, que também tem o apoio de vários movimentos sociais. A Reforma busca, entre outros itens, afastar das eleições a influência do poder econômico sobre as candidaturas, proibindo o financiamento das campanhas com dinheiro privado; alterar o sistema eleitoral, implementando eleição em dois turnos, sendo o primeiro para escolha de uma proposta e o segundo para eleição da pessoa que a colocará em prática; fortalecer a participação das mulheres e , serve também para pressionar as instâncias governamentais a convocar um plebiscito para ouvir a população.

Me parece que teremos uma consulta popular, um plebiscito para tratarmos de um assunto que o congresso a muito tempo discute, mas não consegue avançar, que é a reforma política. A reforma é algo que precisa ser entendido pelos nossos parlamentares como extremamente necessário e urgente. Eu torço para que o poder executivo possa discutir e, mais do que nunca,  avançar e implementar o desejo da presidente Dilma, que é trazer essa reforma democrática ao país”, disse Rotta.

Marcos Rotta também defende mudanças no processo eleitoral.

“Uma eleição só, de vereador a presidente, por exemplo, faria com que o povo brasileiro tivesse menos gastos nesse processo democrático. Um mandato de cinco anos seria uma forma de alternarmos o poder. O Brasil avança nessa questão e, vejo nas pessoas, uma espécie de pensamento único que caminha nessa direção. O Coeficiente eleitoral provoca muita confusão na cabeça do eleitor, que não consegue entender o motivo de o seu candidato, que teve 25 mil votos não se eleger e o candidato com 9 mil votos ser eleito. Eu defendo que o princípio da democracia seja também reestabelecido nesta reforma política. Se são 513 vagas na Câmara dos Deputados, então que os mais votados possam ter representação na Câmara. Se na aleam são 24 vagas, então que os 24 mais votados sejam representados dentro do poder legislativo. Enfim, eu espero que, pela primeira vez, com a declaração pública da chefe do nosso país, possamos ter na câmara, no senado e nas cidades brasileiras uma ampla discussão sobre o que quer o povo brasileiro a respeito da reforma política e eu não tenho dúvida de que o povo quer mudança.