Rotta lamenta envolvimento de parte da Polícia Militar do Amazonas em ações violentas e políticas

Rotta Lamenta

O deputado estadual Marcos Rotta, líder do PMDB na Aleam, lamentou a ação de alguns policiais militares que invadiram, nesta terça-feira (23), um comitê eleitoral na Zona Centro-Sul de Manaus, sem explicações e nenhum tipo de autorização ou mandado de busca e apreensão.

“Não poderia deixar de mencionar mais uma ação da Polícia Militar contra a democracia. É inegável que a Polícia Militar, uma instituição centenária, sempre presta grandes serviços á sociedade amazonense. O problema é que algumas pessoas, mal intencionadas, que utilizam farda, estão tomando partido em um momento conturbado como esse, onde a bandeira política se aflora. Uma instituição secular, como a Polícia Militar do Amazonas, não pode ter partido, precisa ser apartidária. Ontem, integrantes de uma coligação estavam distribuindo em Manaus uma reprodução da revista Isto É, que mostra com o título “Amazonas, sob o Comando da Banda Podre da Polícia”, uma ampla reportagem em circulação nacional, que envergonha a todos, com a utilização de parte da PM do Amazonas em favor de uma candidatura. A Procuradoria Eleitoral entrou com uma representação junto ao TRE, pedindo a cassação do candidato ao governo, José Melo e, pedindo o afastamento imediato do comandante e do subcomandante da PM”, lamentou o parlamentar.

Rotta também destaca a gravidade da situação, ao lembrar que militantes foram perseguidos pelos policiais em uma ação com a presença de várias viaturas, por terra e pelo ar, que deveriam ser utilizadas nas ruas, para proteger a população.

“A situação é tão grave, que integrantes da Polícia Militar, não satisfeitos em coagir militantes partidários, perseguiram esses militantes e tentaram invadir o comitê, no bairro Parque Dez, sem mandado judicial. Tentaram apreender esse material, que não é ilícito. É um material lícito, contendo o nome e o CNPJ da coligação. Isso foi dito inclusive, não apenas pelos partidários da coligação, mas pelo juiz eleitoral que lá esteve. Montaram um verdadeiro circo militar no bairro Parque Dez. Sete viaturas do Ronda no Bairro, viaturas da ROCAM, motocicletas e até um helicóptero da PM foi utilizado nesta ação cinematográfica para apreender material lícito. A Polícia Militar, pela qual eu tenho muito respeito, carinho e admiração pela sua história, não pode permitir manchar-se agora, por meia dúzia de maus profissionais que estão usando a estrutura da PM para tentar, de todas as formas, intimidar representantes de uma coligação. Não é atribuição da PM apreender material, ilícito ou lícito. Causa-me estranheza que esse aparato de dezenas de viaturas e um helicóptero, não seja utilizado para combater a onda de criminalidade que assola a capital e os municípios do interior”, afirmou o peemedebista.

O deputado também citou o comentário de um oficial da PM, sobre a declaração de que seria membro de uma coligação partidária.

“Tenho muitos amigos na PM do Amazonas. Recebi a medalha Tiradentes, recebi um troféu de amigo da ROCAM e eu posso testemunhar com alto grau de confiança, que a grande maioria da corporação não compactua com o que está acontecendo hoje na Polícia Militar do Amazonas, chegando ao ponto de ontem, quando abordado pelos advogados de uma coligação, o oficial da PM do Amazonas dizer o seguinte : ‘ Eu só vou me manifestar quando chegarem os advogados da nossa coligação’ , em uma forma clara que está a serviço da candidatura do governador do Estado. Um oficial jamais poderia afirmar que está aguardando um advogado da sua coligação, porquê ele não pode ter coligação, a polícia deve ser isenta, não pode agir dessa maneira, com truculência, sendo partidária e política”, lamentou Rotta, afirmando ainda que Manaus e o Amazonas nunca experimentaram uma onda de insegurança como estão vivendo nesse momento e que o governo, não tem mais controle sobre a segurança do Estado.

“Algumas pessoas se acham no direito de utilizar toda uma estrutura bélica, militar, por terra e pelo ar, para tentar apreender um material que mostra as manchetes de uma revista nacional, mostra a realidade da banda podre da polícia, mostra aquilo que a propaganda oficial do governo não mostra. O faz de conta da propaganda é uma situação, a realidade das ruas está aqui, retratada e manchando a imagem do Amazonas em nível nacional através da revista. É nítido que o governo perdeu a mão da segurança pública do Amazonas. Não há mais hierarquia na instituição e eu, mais do que ninguém, torço para que a segurança do nosso Estado seja feita da maneira que todos nós queremos e a sociedade anseia. Torço para que o Estado do Amazonas reencontre a paz, a ordem e a segurança”, finalizou.