Sargento da Aeronáutica é preso pelo estupro de adolescente

sargento-da-aeronautica-e-preso-1-capa

O segundo sargento da Aeronáutica José Carlos da Silva, 44, está preso em cumprimento a mandado de prisão temporária sob acusação de ter estuprado uma adolescente de 14 anos. A polícia começou a investigar o sargento após receber denuncia com um vídeo onde o militar aparece mantendo relações sexuais com a garota que parece estar dopada. O delegado Jeff David Mac Donald, titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP), falou na manhã desta quinta-feira, dia 3, durante coletiva de imprensa, realizada às 10h30, no prédio da Delegacia Geral, que o sargento é acusado de estupro de vulnerável e favorecimento a prostituição ou, de outra forma, de exploração sexual de criança, adolescente ou vulnerável.

O homem foi preso pela equipe de investigação do 6º DIP na casa onde mora,localizada na Rua Canário, bairro Cidade Nova, zona Norte da capital. A prisão ocorreu em cumprimento a mandado de prisão temporária válido por 30 dias, expedido no dia 13 de outubro deste ano, pela juíza do Plantão Criminal Mirza Telma de Oliveira Cunha, que também expediu um mandado de busca e apreensão para o endereço dele, naquele mesmo dia.

sargento-da-aeronautica-e-preso-delegadoO delegado explicou que as investigações iniciaram a partir de denúncia anônima há cerca de três meses, feita no prédio da delegacia. Na ocasião, foi deixado um envelope com um cartão de memória na permanência do DIP contendo também um endereço para investigação. No cartão de memória, foi encontrado um vídeo contendo imagens de uma adolescente, que não demonstrava qualquer tipo de reação, mantendo relações sexuais com um homem que estava usando um boné da Aeronáutica.

“Após alguns dias de investigações conseguimos identificar e localizar a vítima, uma adolescente de 14 anos, que, durante depoimento na delegacia, nos relatou sobre o fato. Ela declarou que no dia do crime teria ingerido bebida alcoólica na casa de familiares e que não tinha conhecimento da gravação do ato libidinoso por parte do segundo sargento”, contou o delegado, dizendo ainda que o militar confessou o crime.

Durante a coletiva de imprensa Mac Donad informou que o infrator era inquilino há mais de 10 anos de parentes da garota. O delegado disse, também, que José Carlos costumava dar dinheiro e presentes à adolescente. O acusado está na Aeronáutica há 18 anos.

José Carlos foi indiciado por estupro de vulnerável e favorecimento da prostituição ou de outra forma de exploração sexual de criança, adolescente ou vulnerável. Pelo fato do infrator ser militar das Forças Armadas, ficará custodiadojunto à Aeronáutica por 30 dias, período pelo qual foi expedido o mandado de prisão em nome dele. Ainda segundo o delegado, o mandado poderá ser prorrogado por mais 30 dias, por estar respondendo por crime hediondo.