Saúde caótica em Eirunepé: MPE quer saber porque Governo não repassa recursos do hospital

O Governo do Estado está senso cobrado pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), através da Promotoria de Justiça de Eirunepé (PJERN), por causa da falta de repasses de recursos para o Hospital Reginal de Eirunepé – logo da cidade em nasceu o governador Amazonino Mendes. O MPE instaurou inquérito civil para investigar a falta de de repasses financeiros desde outubro de 2016. De acordo com o MP-AM, os repasses mensais de cerca de R$ 72 mil foram suspensos sem qualquer justificativa e o hospital já deixou de receber cerca de R$ 1 milhão, deficit que levou a unidade de saúde, que atende a diversos municípios da calha do Rio Juruá, a um cenário “caótico”. Para o Promotor, os investigados, o Estado do Amazonas e a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), praticam “desídia reiterada” já há mais de um ano.

“É de fácil constatação o cenário de abandono pelo Governo do Estado do Amazonas em relação ao Hospital Regional desta cidade, cenário que ainda perdura pelo descaso reiterado do ente federativo em providenciar recursos mínimos necessários ao funcionamento do Hospital Regional de Eirunepé”, sustentou o Promotor de Justiça Timóteo Almeida, titular da promotoria de justiça.

O Inquérito Civil n. 002/2018 – PJERN/AM foi instaurado no dia 1º de fevereiro de 2018, depois de o MP-AM ter tomado algumas providências no sentido de resolver as precariedades do Hospital Regional. Antes do inquérito foram enviados ofícios à Susam e foi proposta celebração de um Termo de Ajustamento de Conduta. Mesmo com a ação ministerial,
as condições do hospital se tornaram mais precárias desde aquela época.

No inquérito, o MP-AM requereu à Susam e ao Governo do Estado do Amazonas que expliquem a ausência de repasses financeiros, que são legal e constitucionalmente obrigatórios. O MP-AM também comunicou o Ministério Público de Contas, o Tribunal de Contas do Estado do Amazonas, o Ministério Público Federal e a Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas para que adotem as providências que entenderem “cabíveis e oportunas”. Também foi solicitada ao Núcleo de Apoio Técnico do MP-AM um exame pericial especializado nas instalações do Hospital Regional de Eirunepé para auxiliar o ajuizamento de ação civil pública, ação de improbidade, ações penais e demais ações cabíveis.

Fonte: Assessoria de Comunicação do MPE